004_EASL2014_port

EASL-2014 - Abbvie - Estudos SHAPIRE I - SHAPIRE II - TURQUOISE-II - M12-999 e PEARL-I

21/04/2014

Resultados das pesquisas com medicamentos orais livres de interferon para tratamento da hepatite C da Abbvie em pacientes nunca antes tratados, pacientes não respondedores, pacientes com cirrose e pacientes que receberam transplante de fígado apresentados no EASL-2014.



AbbVie - Estudo SHAPIRE II


Tratamento oral sem interferon em 297 infectados com o genótipo 1 da hepatite C com 12 semanas. Cura de 96,3% dos pacientes tratados com os medicamentos ABT-450/ritonavir co-formulado com ABT-267 e o ABT-333. Pacientes não respondedores a um tratamento anterior com interferon peguilado e ribavirina.

Dividindo por características dos pacientes:

Nos 173 pacientes infectados com o genótipo 1-a a cura foi de 96%.

Nos 123 pacientes infectados com o genótipo 1-b a cura foi de 96,7%.

Em 86 pacientes não respondedores (considerados recidivantes, isto é, que após terminar as 48 semanas o vírus apareceu nos seguintes seis meses) a um tratamento anterior com interferon peguilado e ribavirina que foram retratados no Estudo Shapire II, a cura aconteceu em 95,3% dos pacientes incluídos.

Em 65 pacientes não respondedores (respondedores parciais, isto é, aqueles que negativaram, mas o vírus retornou durante o tratamento) a um tratamento anterior com interferon peguilado e ribavirina que foram retratados no Estudo Shapire II, a cura aconteceu em 100% dos pacientes incluídos.

Em 146 pacientes não respondedores (considerados nulos de resposta, isto é, que tiveram que interromper na semana 12 ou 24) a um tratamento anterior com interferon peguilado e ribavirina que foram retratados no Estudo Shapire II, a cura aconteceu em 95,2% dos pacientes incluídos.



AbbVie - Estudo SHAPIRE I


Tratamento oral sem interferon em 473 infectados com o genótipo 1 da hepatite C nunca antes tratados com qualquer antiviral. O tratamento dado foi de 12 semanas com os medicamentos ABT-450/ritonavir co-formulado com ABT-267 e o ABT-333.

No total, dos 473 pacientes tratados 96,2% obtiveram a cura.

Dos 322 infectados com o genótipo 1-a, 95,3% obtiveram a cura.

Dos 151 infectados com o genótipo 1-b, 98% obtiveram a cura.



AbbVie - Estudo em fase 2 - PEARL-I


Infectados com o genótipo 4 da hepatite C recebendo tratamento oral sem interferon com os medicamentos ABT-450/r + ABT-267 com ou sem ribavirina e duração de 12 semanas.

Dos 44 pacientes nunca antes tratados que receberam tratamento com ABT-450/r + ABT-267 sem ribavirina, 90,0% resultaram curados.

Dos 42 pacientes nunca antes tratados que receberam tratamento com ABT-450/r + ABT-267 com ribavirina a cura aconteceu em 100% dos pacientes.

Dos 49 pacientes não respondedores a um tratamento anterior com interferon peguilado e ribavirina, incluindo 17 recidivantes, 9 com resposta parcial e 23 nulos de resposta, que receberam tratamento com ABT-450/r + ABT-267 com ribavirina, na semana 4 após o final do tratamento (dados preliminares) 100% se encontravam indetectáveis.



AbbVie - Estudo TURQUOISE-II


Em pacientes com cirrose hepática compensada e infectados com o genótipo 1 da hepatite C, uma população difícil de tratar, a cura foi obtida por 91,8% em 12 semanas de tratamento e por 95,9% em 24 semanas de tratamento com ABT-450/ritonavir + ABT-267+ ABT-333 com ou sem ribavirina.

Em 208 pacientes que foram tratados durante 12 semanas a resposta terapêutica geral foi de 91,8%, sendo de 88,6% nos infectados com o genótipo 1-a e de 98,5% nos infectados com o genótipo 1-b. No genótipo 1-a, entre os 50 pacientes que eram considerados nulos de resposta a um tratamento anterior com interferon peguilado e ribavirina a cura foi de 80%. Entre os 15 pacientes que tinham recidivado a o tratamento com interferon a cura foi de 93,3% e, entre os 11 pacientes que no tratamento com interferon foram respondedores parcial a cura foi de 100%. No genótipo 1-b, entre os 14 pacientes que eram considerados nulos de resposta a um tratamento anterior com interferon peguilado e ribavirina a cura foi de 100%. Entre os 25 pacientes que tinham recidivado a o tratamento com interferon a cura foi de 100% e, entre os 7 pacientes que no tratamento com interferon foram respondedores parcial a cura foi de 85,7%.

Em 172 pacientes que foram tratados durante 24 semanas a resposta terapêutica geral foi de 95,9%, sendo de 94,2% nos infectados com o genótipo 1-a e de 100% nos infectados com o genótipo 1-b. No genótipo 1, entre os 42 pacientes que eram considerados nulos de resposta a um tratamento anterior com interferon peguilado e ribavirina a cura foi de 92,9%. Entre os 13 pacientes que tinham recidivado a o tratamento com interferon a cura foi de 100% e, também, entre os 10 pacientes que no tratamento com interferon foram respondedores parcial a cura foi de 100%. No genótipo 1-b, entre os 10 pacientes que eram considerados nulos de resposta a um tratamento anterior com interferon peguilado e ribavirina a cura foi de 100%. Entre os 20 pacientes que tinham recidivado a o tratamento com interferon a cura foi de 100% e, também, entre os 3 pacientes que no tratamento com interferon foram respondedores parcial a cura foi de 100%.



AbbVie - Estudo M12-999 - Em transplantados de fígado


Incluindo 34 pacientes transplantados de fígado com recorrência do vírus da hepatite C que foram tratados com 24 semanas de tratamento com ABT-450/ritonavir + ABT-267+ ABT-333 + ribavirina.

Os dados preliminares de 26 pacientes que já completaram o tratamento mostram que 12 semanas após o final, 96,2% se encontram indetectáveis, o que poderá ser considerado como a cura da hepatite C.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO