013_pernambuco_port

Esteatose - Comentários do "18º Workshop Internacional de Hepatites Virais de Pernambuco"

02/06/2014

Participei do já tradicional "18º Workshop Internacional de Hepatites Virais de Pernambuco" e "7º Simpósio de Transplante Hepático - Brasil/Inglaterra" seguem aqui meus comentários de algumas das apresentações, começando pela doença gordurosa não alcoólica (esteatose).

Existe uma verdadeira epidemia de pessoas com depósitos de gordura no fígado, uma condição que aumenta o número de afetados a cada dia e que se não cuidada leva a cirrose e o câncer de fígado, pior ainda, sem sintomas, atacando o fígado de forma progressiva e silenciosa. Pesquisa da Sociedade Brasileira de Hepatologia encontrou que entre pessoas obesas 45% apresentavam esteatose, entre indivíduos com dislipidemias (aumento do colesterol e dos triglicerídeos no sangue) 67% apresentavam esteatose e entre os diabéticos 22,7% tinham esteatose.

Quando realizaram biopsia do fígado nos pacientes diagnosticados confirmaram que 58% tinham realmente a doença gordurosa não alcoólica (esteatose) e desses 15,4% já estavam com cirrose e 0,7% com câncer de fígado.

Em relação ao excesso de peso estamos diante de um quadro alarmante de saúde pública. Entre 30% e 90% das pessoas com peso acima do normal estarão ganhando depósitos de gordura no fígado que provocam a chamada esteatose. Após a esteatose de 10% até 20% chegarão a um quadro de "esteato-hepatite" e, entre 3% e 5% desenvolverão cirrose em um tempo médio de 20 anos, sendo que após a cirrose muitos poderão chegar ao câncer de fígado.

A biopsia continua a ser o método diagnostico por excelência, mas métodos de imagem não invasivos também podem ser utilizados, desde que os aparelhos estejam devidamente calibrados e o operador tenha capacitação suficiente.

O Fibroscan para diagnosticar a esteatose necessita de uma ferramenta adicional, chamada CAP. Pode também ser utilizada a Ressonância Magnética (elastografia) e a Sono elastografia.

O tratamento, inicialmente consiste em mudanças no estilo de vida. Pacientes obesos devem emagrecer paulatinamente (não devem utilizar suplementos para emagrecer), praticar exercícios aeróbicos. Diabéticos devem controlar a glicemia e hipertensos devem controlar a pressão. O médico poderá receitar medicamentos, mas até o momento não existe algum medicamento especifico para tratar a esteatose.

Estudos comprovam que o café, se não existe intolerância ajuda a proteger as células do fígado.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO