018_ALEH2014_port

Tratamento da hepatite C sem medicamentos - Será verdade?

29/09/2014

No Congresso da ALEH 2014 que aconteceu em Cancun um pôster relatava um estudo piloto realizado por médicos egípcios em colaboração com o ministério da saúde do país, segundo o qual a hepatite C foi tratada utilizando ondas eletromagnéticas, sem necessidade de qualquer medicamento.

Segundo os autores o objetivo do tratamento da hepatite C era avaliar o resultado depois de usar ondaseletro magnéticas em indivíduos infectados com hepatite C e no final do tratamento observar se com o método era possível prevenir o desenvolvimento de doenças provocadas pela infecção, melhorar a qualidade de vida do paciente, e reduzir a morbidade e mortalidade.

Foram tratados 50 pacientes infectados com o genótipo 4 da hepatite C entre maio de 2013 e maio de 2014. A carga viral foi realizada antes do tratamento e nas semanas 1 e 2 durante o tratamento e uma nova carga viral 24 semanas após o final do tratamento.

O tratamento consistia em expor o paciente diariamente durante 1 hora as ondas eletromagnéticas gerados pelo aparelho em questão durante os 21 dias de duração do tratamento.

É informado que 48 pacientes representando 96% dos infectados resultaram indetectáveis (curados) da hepatite C após 24 semanas do final da aplicação das ondas eletromagnéticas.

Concluem os autores que o tratamento com ondas eletromagnéticas é totalmente inovador, altamente eficaz e totalmente seguro no tratamento de infectados com hepatite C.

MEU COMENTÁRIO:

Não faço juízo de valor, mas será verdade? Não encontrei no congresso nenhum dos autores para poder conversar sobre o estudo apresentado e ninguém nunca viu o tal aparelho gerador de ondas eletro magnéticas. Somente matérias em jornais é que apareceram até o momento.

Por enquanto nada pode ser afirmado. Vamos ver se conseguem provar que isso realmente funciona ao ser replicado por outros pesquisadores. Só acreditarei se o vejo com meus próprios olhos.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
INNOVATIVE TREATMENT FOR HCV-G4 EGYPTIAN PATIENTS: A PILOT STUDY - Ibrahim Abd El Aty1, Ahmed Monis2, Sally Emara3 - ALEH 2014
1Engineering Authority of Ministry of Defense,
2Ain Shams University,
3Abbasia Fever Hospital, Cairo, Egypt.


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO