022_AASLD_2014_port

O que aconteceu de novo no "The Liver Meeting 2014" - AASLD 2014

12/11/2014

A cura da hepatite C já é uma realidade indiscutível. Conseguir 90% ou mais de possibilidades de cura com o tratamento é um fato fantástico. Na medicina são poucas as doenças que conseguem curar 100% dos casos, ou seja, chegamos a um ponto em que no tratamento da hepatite C estarão aparecendo novos medicamentos, com menos semanas de tratamento, com menos efeitos colaterais, mas no meu pensamento estaremos falando mais do mesmo, sem grandes novidades na hepatite C neste momento no que se refere a aumentar as possibilidades de cura.

E por isso que aqui em Boston as indústrias farmacêuticas e os pesquisadores estão voltando sua atenção para outras doenças que atacam o fígado e que ainda não dispõem de tratamentos adequados ou eficientes.

A hepatite B, doença que consegue ser controlada, mas não curada, passou a despertar o interesse de pesquisadores e da indústria. A apresentação sobre hepatite B teve tanto interesse que o auditório ficou lotado, com gente em pé e outros que não conseguiram entrar. Acredito que no congresso de 2015 a hepatite B será um dos temas principais e que estará ocupando mais espaço na programação. Nas próximas semanas estarei escrevendo sobre o que esta sendo pesquisado para encontrar a cura da hepatite B. A maioria das pesquisas está na fase I e II dos ensaios clínicos, os dados por enquanto são provisórios, informações mais avançadas são esperadas ao longo do próximo ano.

A doença gordurosa do fígado, que já afeta 30% da população dos Estados Unidos e pode chegar a afetar metade de toda a população americana em 2030 é outro dos grandes desafios. O único que um médico pode oferecer hoje ao paciente é sugerir uma mudança nos hábitos de vida, perder peso, ter uma alimentação mais saudável e passar a praticar atividades físicas.

Por atingir milhões de pessoas no mundo o interesse da indústria farmacêutica nesse mercado enorme esta fazendo com que recursos em pesquisa sejam dirigidos a medicamentos que controlem ou curem a esteatose. As sociedades médicas e as autoridades de saúde alertam para o grave problema que representa a obesidade infantil e de adolescentes, muitos deles já apresentam quadros de esteatose evoluindo para uma fibrose significativa e certamente serão futuros cirróticos ou casos de câncer no fígado.

Medicamentos para combater a fibrose e a cirrose, condições provocadas por todas as doenças que atacam o fígado e que até o momento não conseguiram nenhum tratamento eficaz é outro tema que será destaque nos próximos congressos. Chegando a se descobrir um medicamento que cure a fibrose e a cirrose será a solução para a maioria das doenças que atacam o fígado.

Mas o que mais chamou a minha atenção no congresso AASLD 2014 foi a quantidade de farmácias presentes na área de exposição, dezenas delas, que pelo visto estão entusiasmadas com os lucros que estão obtendo com a venda dos novos medicamentos para tratamento da hepatite C.

Nas próximas semanas, já no Brasil, estarei escrevendo dos diversos temas apresentados no "The Liver Meeting 2014" - AASLD 2014.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO