047_AASLD_2015_port

O que esta sendo pesquisado nas doenças do fígado? - AASLD 2015

23/11/2015

Um estudo da Universidade de North Carolina (Estados Unidos) criou um ferramenta para analisar diversos dados com o objetivo de interpretar para onde esta indo a pesquisa e investigação nas diversas doenças que atacam o fígado: hepatites B e C, hepatite alcoólica e gordura no fígado não alcoólica (NASH).

A ferramenta "Attention-to-Burden Index (ABI)" utiliza como base diversas atividades e parâmetros dos últimos cinco anos (2010-2015), como o número de apresentações nos congressos americanos (AASLD) e europeu (EASL), o número de estudos clínicos das 38 principais indústrias farmacêuticas, o valor das subvenções nos Estados Unidos e na Europa, os ensaios clínicos em andamento (clinicaltrials.gov) e as publicações científicas (PubMed).

Também a carga das doenças para o sistema de saúde foi calculada considerando os custos de hospitalização de cada uma delas, etiologia do transplante, da fibrose e da cirrose.

RESULTADOS:

Do total de apresentações nos congressos americanos e europeu de fígado a hepatite C teve respectivamente 55% e 54%. A hepatite B teve 26% das apresentações nos dois congressos, o NASH (gordura no fígado não alcoólica) com 13% e 15% respectivamente e a hepatite alcoólica com 6% e 4% das apresentações respectivamente.

O numero de drogas com indicações especificas para as doenças do fígado foi de 13 para hepatite C, 4 para hepatite B, 3 para NASH e 1 para hepatite alcoólica.

Os recursos dos governos em subvenções para pesquisa foram destinados em 54% para hepatite C nos Estados Unidos e 62% na Europa, na hepatite B de 24% e 33% respectivamente, no NASH de 17% e 5% respectivamente e na hepatite alcoólica de 5% nos Estados Unidos e 1% na Europa.

O numero de publicações científicas (PubMed) considerando somente as quatro doenças do estudo, 34% das publicações eram referentes a hepatite C, 4% para hepatite B, 37% para hepatite alcoólica e 24% para o NASH.

Concluem os pesquisadores que o resultado revela disparidades entre a atenção que é dada a investigação em comparação com a carga que cada doença representa para o sistema de saúde, ficando evidente que as hepatites virais recebe maior atenção que o NASH (gordura no fígado não alcoólica). Notavelmente praticamente não existe maior atenção para estudos na hepatite alcoólica.

MEU COMENTÁRIO

O estudo é uma fotografia dos últimos cinco anos, não significando que a mesma atenção continue igual. Com a chegada dos novos medicamentos que curam em somente 12 semanas mais de 90% dos infectados com hepatite C já se observa que a indústria já começou a procurar por medicamentos que curem a hepatite B e o NASH, doenças nas quais deveremos ter importantes novidades em no máximo 3 ou 4 anos.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
The Attention-to-Burden Index (ABI): a New Tool that Reveals Profound Disparities between Research Attention and Disease Burden among Liver Diseases - Nambi J. Ndugga, Teisha G. Lightbourne, Kavon Javaherian, Neha Verma, Eric S. Orman, David Pesci, Ramon Bataller - Abstract 1451 - AASLD 2015


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO