049_AASLD_2015_port

O que acontece após a cura da hepatite C? - AASLD 2015

23/11/2015

Com os novos tratamentos de ação direta livres de interferon a maioria dos infectados pela hepatite C estará alcançando a cura num future próximo. No entanto, o prognostico dos pacientes curados da hepatite C a longo prazo em relação ao risco de desenvolver complicações pelo deterioro ocasionado ao fígado pelo vírus ou a um provável desenvolvimento de câncer de fígado ainda necessita de estudos específicos.

Uma analise de 33.005 infectados tratados nos Estados Unidos com interferon peguilado e ribavirina entre os anos de 1999 e 2009 consegue mostrar dados interessantes quanto ao futuro daqueles que obtiveram a cura.

Entre os tratados 10.817 obtiveram a cura. Destes 10.765 não tinham câncer de fígado antes de receberem o tratamento, sendo incluídos no estudo. Em 2011 a idade média dos pacientes era de 53 anos, sendo que 12% tinham mais de 60 anos de idade, 13% de pele negra, 64% brancos não hispânicos e 4% hispânicos. A maioria (95%) eram homens, 54% infetados com o genótipo 1, 25% com genótipo 2, 14% com o genótipo 3 e 7% sem genotipagem realizada.

Após três anos da cura 124 pacientes desenvolveram câncer de fígado, com uma taxa de incidência de 0,32% ao ano. Aqueles com mais de 60 anos de idade, com cirrose e com diabetes estavam entre os de maior risco de desenvolver o câncer de fígado.

Concluem os pesquisadores que o risco de câncer de fígado permanece elevado em pacientes com idade avançada no momento da cura ou que já estejam com cirrose e diabetes, quando nestes casos 3 entre 1.000 curados da hepatite C poderá desenvolver câncer de fígado a cada ano.

MEU COMENTÁRIO

A cura da hepatite C não significa que o fígado fica livre dos danos ocasionados pelo vírus, ficando sem fibrose ou sem cirrose. A partir da cura o vírus da hepatite C deixa de atacar e destruir o fígado e uma lenta regeneração é possível, mas essa regeneração depende de muitos fatores, pessoas jovens apresentaram maior possibilidade de regenerar o fígado, mas pessoas idosas deverão demorar muito mais tempo ou até não conseguir nenhum beneficio no fígado, permanecendo com o mesmo estagio de fibrose ou cirrose.

Com a cura o vírus da hepatite C não mais destrói o fígado e isso é fantástico, pois interrompe a progressão do dano, mas o individuo pode ter outras condições ou doenças que continuam a atacar o órgão, quando então não somente não conseguiremos qualquer regeneração, como poderá continuar o deterioro.

Portanto, é necessário cuidar todos os dias, evitando bebidas alcoólicas, mantendo o peso ideal, uma alimentação balanceada, praticando uma atividade física aeróbica e cuidando de toda e qualquer doença que possa atingir o fígado, como outra hepatite, o dengue, a hipertensão, o diabetes, o colesterol elevado, etc., etc..

Devemos lembrar todos os dias que o ser humano é uma coisa complexa e que não é somente acometido pela hepatite C.


Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Incidence and Predictors of hepatocellular Carcinoma following Sustained Virological Response: A national Cohort Study - Hashem B. El-Serag, Peter Richardson, Fasiha Kanwal - Abstract 90 - AASLD 2015


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO