013_biopsia_port

Exames de sangue podem substituir a biopsia do fígado

25/10/2013

A revista "Annals of Internal Medicine" publica uma revisão sistemática da literatura sobre os exames de sangue já existentes, que isoladamente ou em combinação de alguns deles, podem avaliar o grau de fibrose ou cirrose.

Foram analisados como parte de uma revisão encomendada pela Agência de Investigação de Saúde um total de 172 publicações relatando testes sanguíneos, desde os mais simples e baratos até testes mais complexos e caros, trabalho realizado por uma equipe da "Oregon Health and Science University", de Portland, Estados Unidos.

Seis testes identificaram com bastante precisão fibrose clinicamente significativa, sendo o APRI, FibroIndex, FibroTest, Índice Forns, relação entre plaquetas com a idade, e a transaminase TGO/AST.

O APRI (relação entre a transaminase AST/TGO e o número de plaquetas) é o índice mais estudado e de uso comum e, segundo a equipe seria uma opção razoável para ser empregado como primeira opção para determinar fibrose elevada ou cirrose, substituindo a biopsia.

Para identificar fibrose avançada os pesquisadores encontraram que plaquetas abaixo de 163.000 pode ser um indicativo para suspeitar de um dano hepático avançado, assim como um resultado no Índice APRI superior a 1,5 ou no FibroTest superior a 0,7 ou no Índice Forns superior a 6,9.

A cirrose pode ser identificada com um resultado do APRI superior a 2,0 assim como uma contagem de plaquetas inferior a 155.000, relacionadas em cada caso individual com a idade do paciente.

O FibroIndex e FibroTest foram associados com maior índice negativo quando da fibrose moderada.

MEUS COMENTÁRIOS

Os resultados sugerem que exames de sangue simples e baratos podem ajudar a identificar infectados com hepatite C que apresentam fibrose significativa ou cirrose sem necessidade da realização da biopsia ou do FibroScan (elastografia).

Somente quando de resultados que indiquem uma fibrose moderada ou mínima é que uma biopsia ou FibroScan seria necessária para ter certeza do resultado, já que todos os testes de sangue não apresentam um resultado confiável nesses casos específicos.

A biopsia continuará sendo o padrão ouro para se conhecer o real estado do fígado, mas com a experiência acumulada na utilização do APRI não deveria ser recomendada quando o resultado do APRI é superior a 1,5, pois a biopsia encontraria o obvio já mostrado no exame de sangue.

Ainda, a biopsia não é 100% segura no resultado já que apresenta margens de erro no laudo devido a amostra do fígado obtida, a observação do patologista e tendo ainda risco de complicações, tais como hemorragia, dor e infecção.

Os testes de sangue passam a ser uma alternativa menos invasiva de biopsia acabando com a dificuldade que existe de realização da biopsia em muitas regiões.

Assim foi surpreendente o resultado que encontrou ser o teste mais comum e barato, o APRI, o que apresentou melhor resultado para identificar infectados com hepatite C com fibrose avançada ou cirrose.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Blood Tests to Diagnose Fibrosis or Cirrhosis in Patients With Chronic Hepatitis C Virus Infection: A Systematic Review - Roger Chou, MD; and Ngoc Wasson, MPH - Annals of Internal Medicine, 2013; 158, N 11.


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO