004_cancer_port

Tratamento da hepatite C após o tratamento do câncer no fígado

25/02/2013

O câncer de fígado é difícil de tratar, a ressecção é o procedimento que apresenta melhor resultado. Um infectado com hepatite C que desenvolver câncer não poderá receber tratamento com interferon. Pouco ainda foi pesquisado se o tratamento é possível após a resseção do câncer.

A revista "Hepatology" publica um estudo feito por pesquisadores de Taiwan, de base populacional, que teve o objetivo de investigar a associação entre o tratamento da hepatite C após a ressecção do tumor e a recorrência do câncer no fígado.

Inicialmente foram identificados os prontuários de 100.938 pacientes diagnosticados com câncer de fígado entre outubro de 2003 e dezembro de 2010. Nesse total foram identificados 2.237 pacientes infectados com hepatite C que nunca tinham recebido qualquer tratamento antiviral com interferon.

Dos infectados com hepatite C nunca tratados com antiviral que receberam tratamento de ressecção do tumor, um total de 213 receberam tratamento com interferon peguilado e ribavirina por um período de 16 ou mais semanas após a ressecção do tumor.

Para efeito de controle foram selecionados 852 controles que nunca receberam tratamento, nem antes nem depois de ressecção do tumor, para comparação com os 213 tratados, separados em grupos por idade, sexo, cirrose e tempo recorrido entre a ressecção do tumor e a terapia da hepatite C.

A taxa de recorrência do tumor foi 52,1% menor no grupo que recebeu tratamento com interferon peguilado e ribavirina ao ser comparado com o grupo que não recebeu tratamento. A taxa de recorrência do câncer nos pacientes tratados com interferon peguilado e ribavirina após a ressecção do tumor foi menor em pacientes com menos de 60 anos de idade e aqueles sem cirrose ou diabetes.

Concluem os autores que o tratamento com interferon peguilado e ribavirina em infectados com hepatite C submetidos à ressecção de um câncer de fígado esta associada a menor recorrência do câncer.

MEU COMENTÁRIO

Esta é uma das primeiras pesquisas realizadas nesses grupos especifico de pacientes, sendo uma excelente notícia para os infectados com hepatite C que pelo avanço da doença desenvolveu câncer no fígado. Certamente será necessário aguardar a confirmação dos resultados por outros grupos de pesquisadores que realizem o mesmo analise antes de se transformar em protocolo de tratamento, mas devido ao número de pacientes incluídos pelos pesquisadores (213 tratamentos) deve ser levada em consideração pelos médicos.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Postoperative peg-interferon plus ribavirin associated with reduced recurrence of hepatitis C virus-related hepatocellular carcinoma - Hsu YC, Ho HJ, Wu MS, Lin JT, Wu CY. - Hepatology. 2013 Feb 6. doi: 10.1002/hep.26300


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO