017_cirrose_port

A cura da hepatite C em pacientes com cirrose é a cura total? - ALEH 2014

22/09/2014

Está comprovado que curar a hepatite C diminui grandemente a possibilidade de no futuro vir a desenvolver câncer de fígado por culpa do vírus C. Isso é correto em infectados que curam a hepatite C quando ainda estão com um dano hepático que apresenta fibrose, mas a mesma afirmação não pode ser feita se o paciente cura a hepatite C quando já chegou a desenvolver cirrose.

A pesquisa teve como objetivo comparar o aparecimento do câncer de fígado em pacientes com cirrose que curaram, ou não, a hepatite C. No total foram incluídos 357 infectados com hepatite C com cirrose que receberam tratamento entre 2005 e 2012.

Divididos em dois grupos, um dos grupos incluía 125 pacientes que obtiveram a cura e o segundo grupo incluía os 232 que não tiveram sucesso com o tratamento. Todos foram acompanhados com consultas a cada seis meses.

Em aproximadamente cinco anos de acompanhamento 12% dos pacientes que tinham curado a hepatite C desenvolveram câncer de fígado, já no grupo dos que não tinham obtido a cura o aparecimento do câncer de fígado atingiu 21% dos pacientes.

Concluem os autores que a possibilidade de desenvolver câncer de fígado é maior entre aqueles que não obtiveram a cura, mas que também entre os pacientes cirróticos curados o câncer, em menor escala, também se desenvolveu, alertando que todo paciente com cirrose, cure ou não cure a hepatite C deverá ser continuamente acompanhado pelo médico.

MEU COMENTÁRIO

É evidente que curar a hepatite C é um beneficio importante na vida do indivíduo, mas se no momento da cura o paciente já estiver com cirrose o acompanhamento médico a cada seis meses passa a ser fundamental, melhor dito, até obrigatório, para em caso do desenvolvimento do câncer o detectar precocemente, quando ainda existe possibilidade de tratamento.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
EFFECT OF SUSTAINED VIROLOGICAL RESPONSE ON THE INCIDENCE OF HEPATOCELLULAR CARCINOMA IN HCV CIRRHOTIC PATIENTS - ALEH 2014 - H. Cheinquer, S. Coelho-Borges, N. Cheinquer, A. de Araújo, J. Stifft, F. Herz Wolff. - Hospital de Clinicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS, Brazil


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO