008_cura_port

A resposta sustentada (cura) da hepatite C e associada com maior expectativa de vida

06/05/2008

Foi apresentado durante o congresso da EASL um estudo retrospectivo realizado com 307 pacientes que receberam tratamento para a hepatite C. Desses 103 conseguiram a cura e 204 não obtiveram resposta ou recividaram.

A idade média dos pacientes durante o tratamento era de 55 anos, 70% homens, peso normal. Entre os que conseguiram a cura, 35% possuíam o genótipo 1; 21% o genótipo 2; 30% o genótipo 3; 14% o genótipo 4, 53% apresentavam cirroses e 35% severa esteatoses. Entre os que não alcançaram a resposta sustentada 70% possuíam o genótipo 1; 6% o genótipo 2; 9% o genótipo 3; 15% o genótipo 4; 61% apresentavam cirroses e 39% severa esteatoses.

Após quatro anos o final do tratamento, utilizando os dois interferons peguilados existentes, uma analise estatística foi realizada, mostrando dados interessantes, dos quais segue um resumo:

- O câncer de fígado apareceu em 6% do total dos pacientes após 4 anos o tratamento;

- Idade, sexo e diabetes são fatores potenciais para o desenvolvimento do câncer;

- Pacientes que obtiveram a cura, mas que apresentam um dano hepático F3 ou F4 pela escala Metavir devem continuar em observação para diagnosticar precocemente o possível desenvolvimento de câncer;

- Após quatro anos o tratamento o câncer de fígado aconteceu em 39 pacientes (19,1%) que não obtiveram a resposta sustentada e, em 6 pacientes (5,8%) dos que obtiveram a cura;

- Ascites (descompensação da cirrose com acumulo de fluido no abdome) acontecio em 41 pacientes (20%) dos que não obtiveram a resposta sustentada e, em 5 pacientes (4,8%) dos que obtiveram a cura;

- O transplante de fígado somente aconteceu em pacientes que não obtiveram a resposta sustentada, sendo necessário em 10% pacientes (4,9%);

- Nos quatro anos de seguimento 23 pacientes faleceram, sendo 20 dos não respondedores (9,8%) e somente 3 pacientes (2,9%) dos que obtiveram a cura.


MEU COMENTÁRIO:

Os resultados apresentados não deixam qualquer duvida sobre os benefícios do tratamento para quem consegue a cura da hepatite C. Os autores especificam que ainda faltam dados sobre os benéficos em longo prazo, mas vemos que após quatro anos do tratamento as diferenças entre as possibilidades de câncer, descompensações, mortes e transplantes são muito grandes.

Outro fator importante para o sucesso do tratamento foi a idade dos pacientes (quanto mais jovem mais possibilidades de sucesso) e o grau de fibrose, já que 70% dos curados apresentavam entre fibrose F3 ou F3/F4 (ainda sem cirrose estabelecida) e somente 3% era de cirróticos.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Cardoso AC, Moucari R, Giuily N, et al. Sustained virological response is associated with reversibility of cirrhosis in chronic hepatitis C patients. Program and abstracts of the 43rd Annual Meeting of the European Association for the Study of the Liver; April 23-27, 2008; Milan, Italy. Abstract 777.


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO