002_diabete_port

Diabetes e hepatite C: O que é pior?

30/01/2012

Estudo retrospectivo acompanhando durante 11 anos 309 pacientes infectados com hepatite C analisou os eventos relacionados com a incidência e progressão do vírus no fígado com o observado em 50 pacientes do mesmo grupo que também estavam acometidos pela diabetes tipo 2 e os eventos neles acontecidos durante o período.

Todos os pacientes receberam durante o período tratamento para a hepatite C. O objetivo então era analisar que eventos relacionados ao fígado aconteceram nesses pacientes durante o seguimento de 11 anos em média (entre 7 e 15 anos para cada paciente especificamente) e a mortalidade, com a incidência de eventos relacionados ao diabetes entre os pacientes diabéticos com e sem hepatite C.

O resultado da observação mostra que os infectados com hepatite C e diabetes tiveram maiores eventos que os infectados com hepatite C sem diabetes.

Eventos provavelmente atribuídos ao diabetes aconteceram em 10% dos pacientes com diabetes e em somente 1,5% dos não diabéticos. Eventos causados pela hepatite C aconteceram em 18% dos pacientes com diabetes e em somente 5,7 dos infectados pela hepatite C sem diabetes.

A mortalidade no período do estudo atingiu 14% dos infectados diabéticos contra somente 1,5% dos infectados com hepatite C sem diabetes.

A cirrose e a não resposta ao tratamento antiviral foram os fatores de risco independentes para acontecer eventos relacionados ao fígado.

A diabetes e a hipertensão foram os fatores de risco independentes para acontecer eventos relacionados ao diabetes.

Concluem os autores que em pacientes com hepatite C que também estão afetados pela diabetes tipo 2 aumenta a probabilidade de mortalidade e eventos relacionados ao fígado e a diabetes.

MEU COMENTÁRIO:

Infectados com hepatite C apresentam um risco até cinco vezes maior que a população em geral para o aparecimento do diabetes na fase adulta, a chamada diabete tipo 2.

Acreditasse que a ação do vírus no fígado provoca o distúrbio metabólico e a resistência a insulina os quais são os fatores que podem desencadear a diabetes nos infectados com hepatite C.

A recomendação para evitar a diabetes é controlar o peso dentro do ideal e praticar atividades físicas aeróbicas pelo menos cinco vezes por semana.

Controle rotineiramente a glicose em jejum e se acima de 110 procure um endocrinologista.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Type 2 diabetes mellitus and chronic hepatitis C: Which is worse? Results of a long-term retrospective cohort study - Giordanino C, Ceretto S, Bo S, Smedile A, Ciancio A, Bugianesi E, Pellicano R, Fagoonee S, Versino E, Costa G, Arese D, Sacco M, Rizzetto M, Saracco G. - Digestive and Liver Disease - 2012 Jan 13.
Division of Gastroenterology, University of Turin, San Luigi Medical School, Orbassano, Italy.


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO