022_diagnostico_port

O teste da hepatite C ainda é mínimo nas pessoas nascidas entre 1945 e 1965, diz estudo

13/03/2017

Dos 76,2 milhões de americanos "baby boomers" (pessoas nascidas entre 1945 e 1965) em 2015, apenas 10,5 milhões foram testadas para a hepatite C.

Por Amy Wallace | 8 de março de 2017 - UNITED PRESS INTERNATIONAL

Uma análise de dados de saúde mostra que os "baby boomers" não estão fazendo testes para hepatite C, apesar das amplas recomendações para fazê-lo. Para muitos, a infecção não possui sintomas e não é diagnosticada até que uma condição de saúde mais grave é detectada.

A maioria das pessoas com hepatite C não tem sintomas até que a doença progride para danos no fígado, como cirrose e câncer de fígado.

A United States Preventive Services Task Force, ou USPSTF, recomendou testes de hepatite C para todos os "baby boomers" em 2013. No entanto, um novo estudo mostra que uma pequena quantidade de "baby boomers" estão sendo testados.

Aproximadamente 80 por cento das pessoas com a infecção são os chamados de geração "baby boomers", pessoas nascidas entre 1945 e 1965, e a maioria não sabe que têm a doença.

Os pesquisadores analisaram as respostas de cerca de 24.000 "baby boomers" no National Health Interview Survey e descobriu que dos 76,2 milhões de "baby boomers" em 2015, apenas 10,5 milhões já foram testados para a hepatite C.

A análise revelou que de 2013 a 2015 a quantidade de testes de hepatite C entre "baby boomers" aumentou ligeiramente de 12,3 por cento para 13,8 por cento.

Os pesquisadores descobriram que as pessoas com Medicaid, Medicare ou seguro militar tinham taxas mais elevadas de testes de hepatite C do que indivíduos de planos privados de saúde. Os testes também foram maiores nos homens do que nas mulheres e maiores nos graduados universitários.

O estudo foi publicado no American Journal of Preventive Medicine .

MEU COMENTÁRIO

No mundo todo a dificuldade é encontrar os infectados com hepatite C. Está mais que demonstrado que campanhas esporádicas, como testes de um dia realizados na rua ou a campanha do Dia Mundial em 28 de julho não conseguem resultados. É necessária uma campanha permanente de incentivo a testagem por parte dos governos.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Recent Hepatitis C Virus Testing Patterns Among Baby Boomers - Ahmedin Jemal PhD, Ahmedin Jemal, PhD Ahmedin Jemal, Stacey A. Fedewa, PhD - Surveillance and Health Services Research, American Cancer Society, Atlanta, Georgia - American Journal of Preventive Medicine - dx.doi.org/10.1016/j.amepre.2017.01.033


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO