014_dietas_port

Ajudando o fígado com a alimentação

27/12/2007

É totalmente impossível poder realizar uma dieta igual para todos os que sofrem do fígado, isso porque o fígado deve metabolizar (processar) tudo aquilo que comemos ou bebemos. Lamentavelmente o fígado não trabalha de forma igual em todas as pessoas. Algumas têm maior facilidade ou dificuldade em realizar determinadas funções, dificuldades aumentadas quando o fígado se encontra danificado por alguma doença presente ou passada. Também influem no seu funcionamento os abusos por falta de cuidados do próprio individuo, como o excesso no consumo de bebidas alcoólicas, o peso excessivo, a ma nutrição, o sedentarismo, o uso de drogas e até do cigarro.

Dependemos do fígado para nos manter vivos, motivo pelo qual se fala que o fígado e a maior fabrica que possuímos. Para tal mais de quinhentas funções diversas devem ser realizadas dia e noite para que possam ser produzidas as diversas enzimas, proteínas, vitaminas, fatores de coagulação, antialérgicos, colesterol, bílis, etc., etc..

O organismo ingere muitas substancias que não são benéficas, cabendo ao fígado as eliminar e evitar que sejam absorvidas. Na alimentação ingerimos agrotóxicos, conservantes, corantes, espessantes, estabilizantes, álcool, etc. e ao respirar absorvemos tóxicos resultantes da poluição, da combustão dos motores dos carros, da fumaça dos cigarros e, tudo isso vai para o sangue o qual deverá ser depurado pelo fígado.

Quando o fígado e forçado a trabalhar em demasia a reação natural será aumentar de tamanho (inflamar) na tentativa de assim poder absorver e processar o trabalho extra, mas e nesse ponto que reside o perigo. A definição de hepatite indica "inflamação" do fígado, aumento de seu tamanho.

Uma alimentação que não obrigue o trabalho excessivo do fígado pode ajudar a evitar uma maior progressão na velocidade do dano às células hepáticas. A alimentação e o condicionamento físico são elementos importantes para tal.

Ingerir alimentos que não obriguem o fígado a trabalhar intensamente resulta em menor atividade inflamatória. Se a alimentação inclui alimentos "depurativos" que ajudem a eliminar as toxinas do organismo e combater os radicais livres, estaremos ajudando o fígado a cumprir sua missão.

O alimento que devemos evitar de forma radical e a bebida alcoólica (totalmente proibida para quem tem hepatite B ou C). Já entre os que devemos limitar nas quantidades temos os alimentos gordurosos, já que eles obrigam o fígado a aumentar a produção de bílis para o processamento, mas gorduras são necessárias para o organismo, sendo uma boa opção substituir as gorduras animais pelas gorduras e óleos vegetais.

As proteínas animais podem ser substituídas por frutas secas, cereais integrais e legumes. Refrigerantes que contem gás carbônico obrigam o fígado a um trabalho extra. Comidas enlatadas ou congelados industriais contem gorduras e sal em excesso, devendo dar preferência a alimentos frescos, de preferência evitando aqueles fritos.

O alho, a cebola, aspargos, pepino, legumes amargas (chicória, acelga, alface, etc.) banana, maça, manga, pêssegos, aveia, limão, pimentão, laranja, tangerina, melão, melancia, cenoura, ameixa, batata, batata doce, espinafre, uva, azeitona, pêra, morango, feijão, arroz, milho e muitos outros alimentos naturais são de fácil metabolização pelo fígado. Podemos ver que a alimentação continua rica e variada, sem maior esforço numa dieta balanceada.

Alimentos e frutas que contem antioxidantes também são altamente recomendados por que conseguem combater os radicais livres produzidos quando o fígado está inflamado e doente. Todos aqueles que contem vitamina A, C ou E são altamente recomendados. O chã verde, a alcachofra, os sucos com vitamina C como o de laranja, tangerina, limão.

Mas para descobrir qual e a sua dieta a minha recomendação pessoal e que você mesmo encontre qual e a sua linha invisível do organismo. Um nutricionista poderá ajudar a compor uma dieta indicada para seu organismo, porém é o seu próprio corpo que vai determinar quais alimentos são mais bem aceitos e metabolizados. Escute as respostas, os avisos e os alertas que o corpo lhe envia, e você conseguirá organizar sua dieta personalizada, individual, exclusiva para seu organismo; aquilo que acostumo chamar de Dieta da linha invisível do organismo.

Sim, o nosso fígado nos fala após a ingestão de qualquer alimento. Se após uma refeição o nosso corpo se ente "pesado" com sensação de cansaço, dor de cabeça, aquela sensação de "caiu ruim", então esse e um sinal do fígado nos indicando que por culpa de algum alimento ele está sendo forçado a trabalhar em excesso.

É muito fácil conseguir elaborar sua dieta ideal observando a reação do corpo, os seus sinais, após cada refeição. Se você se sentir sonolento, com o corpo pesado ou com dor de cabeça, é um sinal de alerta para seu corpo, que está informando que algum dos alimentos ingeridos na última refeição não é indicado para o seu metabolismo. Seu corpo está sentindo dificuldade de digeri-lo, sobrecarregando assim o seu fígado.

Então, será necessário identificar, entre todos os alimentos ingeridos na última refeição, qual deles não é bom para nosso organismo. Para isto, nos próximos dias, deveremos experimentar, um a um, separadamente, cada alimento ingerido, até encontrar aquele que vai desencadear aquela mesma reação no nosso organismo.

Bom, agora já estamos sabendo que este alimento não é bem aceito no nosso corpo e com certeza o nosso organismo vai agradecer se o eliminamos da dieta ou pelo menos diminuirmos a quantidade ou freqüência com que o ingerimos.

Assim, após alguns meses observando seu próprio organismo, você mesmo terá conseguido realizar uma lista de alimentos inconvenientes para sua dieta, o que significa que o seu cardápio passará a ser o ideal para seu organismo. Porém, siga o sábio conselho de escrever num papel os alimentos que nos causam problemas, senão, com certeza, você vai repetir muitas vezes os mesmos erros.

Ao final de vários meses, você vai sentir seu organismo mais leve, livre, com maior energia e disposição física, pois só estará ingerindo alimentos que seu corpo processa e aceita com facilidade. Isto vai gerar menos radicais livres e conseqüentemente menos inflamação em todos os órgãos, músculos e tecidos, propiciando um beneficio fantástico.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO