015_doen_relac_port

Tratamento e prevenção das doenças autoimunes

16/12/2013

Entre as hepatites existe a chamada autoimune, mas também a hepatite C apresenta muitas vezes comorbidades que desencadeiam doenças autoimunes, muitas vezes durante o tratamento com interferon, como psoríases, fibromialgia, psoríase, problemas nas tiroides, crioglobulinemia, doenças colostáticas, hepatite auto-imune, entre outras.

A revista "The Journal of Complementary and Integrative" publica um interessante artigo sobre o efeito benéfico dos probióticos na prevenção e tratamento de diferentes doenças autoimunes. O estudo detalha que quando a mucosa intestinal fica "permeável" é alterada a capacidade de resposta imune intestinal, criando um ambiente perfeito para o desenvolvimento de doenças autoimunes. Os probióticos recompõem a microflora intestinal e diversos tipos de probióticos estimulam as células T de defesa do organismo.

Embora exista uma grande quantidade de dados conflitantes sobre os efeitos preventivos e terapêuticos do probióticos em anúncios de venda de suplementos, segundo os autores da pesquisa há evidencias promissoras para recomendar a sua utilização

Outro artigo, publicado no "Cellular and Molecular Life Sciences", que se bem não pesquisou as doenças autoimunes e sim os transtornos do humor chegou a conclusão semelhante. Os pesquisadores mostram a importância da colonização bacteriana do intestino e sua importância para o desenvolvimento normal de muitos aspectos da fisiologia, tais como o sistema imunológico e o sistema endocrínico.

Os autores citam que existem evidencias robustas de que bactérias intestinais influenciam o sistema nervoso entérico (Explicando: O sistema nervoso entérico é uma rede de neurónios que integram o sistema digestivo do trato gastrointestinal, pâncreas, e vesícula biliar)

Concluem afirmando que uma maior compreensão dos mecanismos de ação das bactérias intestinais ajuda a identificar o potencial de estratégias terapêuticas a base de microorganismos para auxiliar no tratamento de transtornos do humor.

MEU COMENTÁRIO Os probióticos são alimentos considerados funcionais. São microorganismos que, quando ingeridos, exercem efeitos benéficos para a saúde. Esses organismos são adicionados aos alimentos industrializados, como os leites fermentados, iogurte, ou podem ser encontrados na forma de pó ou cápsulas. As mais conhecidas bactérias que exercem essa função são as Bifidobacterium e Lactobacillus, em especial Lactobacillus acidophillus. Elas agem produzindo compostos antimicrobianos e antibacterianos, ou seja, favorecem a presença de bactérias benéficas ao organismo e diminuem a concentração de bactérias e microorganismos indesejáveis.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Any role for probiotics in the therapy or prevention of autoimmune diseases? Up-to-date review - Özdemir Ö. - J Complement Integr Med. 2013 Aug 6;10. pii: /j/jcim.2013.10.issue-1/jcim-2012-0054/jcim-2012-0054.xml. doi: 10.1515/jcim-2012-0054.

Voices from within: gut microbes and the CNS. - Forsythe P, Kunze WA. - Cell Mol Life Sci. 2013 Jan;70(1):55-69. doi: 10.1007/s00018-012-1028-z. Epub 2012 May 27.


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO