009_epidemi_port

A hepatite C e uma epidemia, uma endemia ou uma pandemia?

11/07/2005

Ao se discutir sobre a diferença entre o que significa uma "epidemia" ou uma "endemia", ocorre-nos, imediatamente, a idéia de que a "epidemia" se caracteriza pela incidência, em curto período de tempo, de grande número de casos de uma doença, ao passo que a "endemia" se traduz pelo aparecimento de menor número de casos ao longo do tempo.

A distinção entre "epidemia" e "endemia" não pode ser feita apenas com base na maior ou menor incidência de determinada doença em uma determinada população. Se a "epidemia" se caracteriza pelo elevado número de casos novos e sua rápida difusão, para definir uma "endemia" não basta o critério quantitativo. O que define o caráter endêmico de uma doença é o fato de ser a mesma uma característica especifica a um povo, país ou região.

Já a "pandemia" e utilizada genericamente para definir qualquer doença que alcança a toda uma população. Podemos falar que uma "pandemia" se trata de uma "epidemia" de grandes proporções, atingindo mais de um país.

Assim, como denominar o grave problema da hepatite C, uma doença infecciosa que já atinge segundo a Organização Mundial da saúde 3% da população mundial?

Segundo a "epidemiologia" que e a ciência que estuda tudo o que envolve o processo entre a saúde e a doença numa população, analisando a prevalência, a distribuição, os agravos e os fatores que determinam uma doença, com o objetivo de estudar medidas de prevenção, controle e erradicação da mesma, a hepatite C pode ser considerada uma "epidemia", já que nas ultimas décadas o número de casos de hepatite C cresceu de forma alarmante, mas, também, atualmente poderia ser considerada uma "endemia" já que a contaminação se encontra, maiormente controlada, surgindo poucos casos novos.

Por outro lado a hepatite C atinge os cinco continentes e todos os países do mundo, sem exceção, podendo então se falar em "pandemia".

Seja qual for o termo correto não podemos negar que se trata do maior problema de saúde publica mundial que existe no momento.

Pessoalmente acredito que o termo "epidemia" seja o mais correto de se usar no momento já que o maior desafio a ser encarado nos próximos anos será detectar os infectados, com o qual o numero de indivíduos considerados "doentes" que irão a aumentar as estatísticas terá enorme crescimento.



Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO