017_epidemi_port

Prevalência da hepatite C, percentuais de diagnosticados e genotipos prevalentes

08/09/2014

Um relatório com diversas estimativas de prevalência da hepatite C em sete países mostrando quantos infectados já foram diagnosticados e quais os genotipos mais comuns em cada país foi elaborado pela Gilead. Ao final do texto reproduzimos a imagem com o documento original.

É sabido que o melhor e mais efetivo enfrentamento para combater a epidemia é encontrar os infectados. Realizado o diagnostico o infectado poderá receber tratamento ou no mínimo ser educado para tomar cuidados que evitem a progressão acelerada do dano hepático e conhecer formas de evitar transmitir a hepatite.

Analisando os dados do relatório realizamos uma espécie dos países melhores colocados no enfrentamento da epidemia onde é possível comparar cada país em relação ao percentual de infectados já diagnosticados, colocando os países na ordem de "sucesso" e, ainda, incluímos o Brasil com os dados disponíveis no Ministério da Saúde.

O Japão pode ser considerado o país que está mais avançado na guerra contra a hepatite C já que de cada três infectados dois já foram diagnosticados. Vamos então à tabela do "campeonato" para ver a classificação de cada país.

1. Japão - 1.100.000 infectados - 68% já diagnosticados.

2. França - 268.000 infectados - 51% já diagnosticados.

3. Reino Unido - 216.000 infectados - 43% já diagnosticados.

4. Estados Unidos - 4.100.000 infectados - 41% já diagnosticados.

5. Espanha - 476.000 infectados - 36% já diagnosticados.

6. Alemanha - 262.000 infectados - 36% já diagnosticados.

7. Itália - 1.500.000 infectados - 20% já diagnosticados.

8. Brasil - 3.000.000 infectados - 10% já diagnosticados.

Em relação à distribuição por genotipos a variação dos países é muito grande. No Brasil é estimado que o genótipo 1 está presente em 75% dos infectados, que 23% dos infectados possuem o genótipo 3 e o genótipo 2 representa somente 2 % dos infectados, existindo muitos poucos infectados com os genotipos 4, 5 ou 6. O país que apresenta uma distribuição mais semelhante a do Brasil é a Espanha, sendo que se colocamos os 12% infectados com os genotipos 4, 5 e 6 na Espanha no total de infectados com o genótipo 1, os percentuais ficam muito próximos daquilo encontrado no Brasil.

No Brasil, colocado no oitavo lugar na tabela "classificatória" mostra que ainda temos muito a ser feito para podermos ficar orgulhosos do enfrentamento da epidemia. Não podemos perder mais tempo.



Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
As referencias se encontram ao final da imagem.


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO