029_epidemi_port

Boletim Epidemiológico 2017 das Hepatites Virais

01/08/2017

Foi publicado o Boletim Epidemiológico 2017 das Hepatites Virais com dados atualizados sobre incidência e prevalência das hepatites virais no Brasil.

A seguir destacamos alguns pontos interessantes do boletim.

Casos notificados

Em 17 anos, entre 1999 e 2016, foram notificados 162.847 (29,0%) casos de hepatite A, 212.031 (37,8%) de hepatite B, 182.389 (32,5%) de hepatite C e 3.791 (0,7%) de hepatite D.

Mortes associadas

De 2000 a 2015, foram identificados, no Brasil 61.297 óbitos associados às hepatites virais dos tipos A, B, C e D. Desses, 1,7% foram associados à hepatite viral A; 21,6% à hepatite B; 75,6% à hepatite C e 1,1% à hepatite D.

Hepatite A

Os casos de hepatite A concentram-se, em sua maioria, nas regiões Nordeste e Norte do país, que representam juntas 56,6% de todos os casos confirmados no período de 1999 a 2016.

Hepatite B

No período de 1999 a 2016, foram notificados 212.031 casos confirmados de hepatite B no Brasil; desses, a maioria está concentrada na região Sudeste (35,4%), seguida das regiões Sul (31,6%), Norte (14,2%), Nordeste (9,4%) e Centro-Oeste (9,3%).

Hepatite C

De 1999 a 2016, foram detectados no Brasil 319.751 casos de hepatite C que apresentaram um dos marcadores - anti-HCV ou HCV-RNA - reagente. Considerando-se os casos que possuíam ambos os marcadores anti-HCV e HCV-RNA reagentes, foram detectados 155.032 casos.

Em 2016, a taxa de detecção da região Sul foi a maior, com 12,0 casos para cada 100 mil habitantes, seguida pelo Sudeste (9,6), Centro-Oeste (3,9), Nordeste (1,6) e Norte (1,0).

Em 2016, as maiores taxas de detecção foram observadas na faixa etária de 55 a 59 anos, chegando a uma taxa de detecção de 46,6 casos por 100 mil habitantes para os homens e 33,7 para mulheres.

No ano de 2016 foram notificados 27.358 casos de hepatite C que apresentavam o ANTI-HCV positivo ou o HCV-RNA positivo, distribuídos pelos estados:

Acre (AC) - 105 casos

Alagoas (AL) - 108 casos

Amapá (AP) - 21 casos

Amazonas (AM) - 271 casos

Bahia (BA) - 704 casos

Ceará (CE) - 276 casos

Distrito Federal (DF) - 443 casos

Espírito Santo (ES) - 321 casos

Goiás (GO) - 437 casos

Maranhão (MA) - 101 casos

Mato Grosso (MT) - 210 casos

Mato Grosso do Sul (MS) - 87 casos

Minas Gerais (MG) - 1.855 casos

Pará (PA) - 271 casos

Paraíba (PB) - 49 casos

Paraná (PR) - 1.691 casos

Pernambuco (PE) - 216 casos

Piauí (PI) - 36 casos

Rio de Janeiro (RJ) - 1.911 casos

Rio Grande do Norte (RN) - 96 casos

Rio Grande do Sul (RS) - 4.986 casos

Rondônia (RO) - 195 casos

Roraima (RR) - 75 casos

Santa Catarina (SC) - 1.165 casos

São Paulo (SP) - 11.592 casos

Sergipe (SE) - 83 casos

Tocantins (TO) - 51 casos

Nove estados diagnosticaram taxas superiores a 10 infectados com hepatite C a cada 100.000 habitantes, sendo 44,2 casos cada 100.000 habitantes no Rio Grande do Sul; 25,9 casos cada 100.00 habitantes em São Paulo; 16,9 em Santa Catarina; 15,0 no Paraná; 14,9 no Distrito Federal; 14,6 no Pará; 12,9 no Acre, 11,5 no Rio de Janeiro e 10,9 em Rondônia, sendo estes os estados campeões em procura e diagnostico dos infectados.

Seis estados apresentam as menores taxas de diagnósticos de infectados, sendo 1,1 infectados a cada 100.000 habitantes no Piauí; 1,2 infectados a cada 100.000 habitantes na Paraíba; 1,5 no Maranhão; 2,3 em Pernambuco; 2,7 no Amapá e 2,8 no Rio Grande do Norte. É necessário e urgente que esses estados aumentem as campanhas de detecção, pois não é de se supor que a hepatite C não seja praticamente encontrada entre seus habitantes.

Hepatite D

No período de 1999 a 2016, foram notificados no Brasil 3.791 casos confirmados de hepatite D; com maior ocorrência na região Norte do país, 76,8% dos casos notificados. As regiões Sudeste, Sul, Nordeste e Centro-Oeste abrangeram 9,8%, 5,3%, 5,0% e 3,1% dos casos, respectivamente.

O Boletim Epidemiológico 2017 das Hepatites Virais na integra (66 páginas) é encontrado em http://www.aids.gov.br/sites/default/files/anexos/publicacao/2017/59737/boletim_hepatites_virais2017_pdf_25238.pdf

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO