005_esteatose_port

Esteatose - Mais um mito derrubado?

28/11/2011

A esteatose não alcoólica (NAFLD) é o deposito de gordura no fígado não provocado pelo abuso de bebidas alcoólicas. Em alguns países desenvolvidos, como nos Estados Unidos, 30% da população possui em menor ou maior grau esteatose. A esteatose não alcoólica esta associada à obesidade, sedentarismo, hepatite C e diabetes.

Os médicos têm considerado a esteatose (doença do fígado gorduroso) um fator de risco muito preocupante para o aparecimento da doença cardiovascular, a fibrose elevada, a cirrose e o câncer de fígado. Não existe tratamento medicamentoso para combater a esteatose, sendo o mais efetivo a redução do peso, mudanças no estilo de vida, uma alimentação saúdavel e a pratica rotineira de exercícios aeróbicos. Somente a biopsia do fígado mostra o grau de esteatose existente.

Mas pesquisadores que realizaram um estudo de coorte prospectivo com o objetivo de avaliar a associação da esteatose não alcoólica com causas de mortalidade especifica pela doença ficaram surpresos ao descobrir que a esteatose não alcoólica não representa qualquer aumento de risco de morte.

No estudo realizado por pesquisadores da Universidade Johns Hopkins foram incluídos os participantes da pesquisa nacional de nutrição (Third National Health and Nutrition Examination Survey - NHANES III), realizada nos Estados Unidos entre os anos de 1988 e 1994, selecionando 11.371 adultos com idades entre 20 e 74 anos com avaliação na época de esteatose hepática por ultra-som e transaminases e, acompanhados durante até 18 anos. Foram incluídos todos aqueles que na época do estudo apresentaram 5%, ou mais, de gordura no fígado conforme o ultra-som, representando 20% da amostra selecionada.

Não foi encontrado nenhum aumento da mortalidade entre aqueles com esteatose não alcoólica e a população em geral. No final do período de seguimento, a mortalidade por toda e qualquer causa foi de 22% (1.836 indivíduos). Doença cardiovascular foi a causa da morte de 716 participantes, o câncer para 480 e para a doença hepática 44.

Concluem os pesquisadores que embora não tenham encontrado um aumento de mortes por causa da esteatose não alcoólica é necessário realizar estudos mais avançados para determinar se quadros mais graves de esteatose podem ter graves conseqüências para o fígado em longo prazo.

MEU COMENTÁRIO:

Infectados com hepatite devem cuidar especialmente da esteatose, pois é conhecido que a progressão do dano hepático acelera quando são dois os fatores presentes que agridem o fígado, assim quando o vírus da hepatite está presente e ainda existe esteatose é necessário que o indivíduo faça tudo o necessário para combater a esteatose.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO