012_esteatose_port

Medicamentos não são efetivos para tratar a esteatoses (gordura no fígado)

26/01/2009

Já em junho de 2007 alertamos em nosso sistema de notícias que "O uso de inibidores de absorção de gordura (medicamentos a base de Orlistat) não conseguiu diminuir as transaminases nem melhorar o estado do fígado" fato agora comprovado pela presente pesquisa que acaba de ser publicada na edição de janeiro de 2009 da revista Hepatology.

O estudo foi realizado utilizando o principio ativo "Orlistat" o qual e o mais comum dos medicamentos receitados para absorver a gordura e perder peso, comprovando que o mesmo não ajuda a diminuir a esteatose nem a melhorar a resistência a insulina ou reduzir os níveis das transaminases.

O maior número de obesos no mundo e o sedentarismo da vida moderna estão resultando numa epidemia de esteatoses (depósitos de gordura no fígado), tornando-se um problema muito importante de saúde. É conhecido da comunidade científica que a perda de peso melhora os níveis de gordura no fígado e reduz os níveis das transaminases.

Mas como é difícil para muitas pessoas perder peso mediante uma dieta e um programa de exercícios os pesquisadores procuram medicamentos que possam conseguir os mesmos resultados. A maioria desses estudos enfoca o "orlistat" por ser o medicamento mais utilizado, conhecido comercialmente pela marca "XENICAL" e vendido em qualquer farmácia.

Pacientes com sobrepeso divididos em dois grupos foram acompanhados durante 36 semanas observando os níveis das transaminases, a glicose em jejum, lípidos, níveis de ácidos graxos e o estado do fígado, com a realização de biopsia antes e ao final do estudo.

Todos os pacientes receberam uma dieta de 1.400 calorias por dia acompanhada de vitaminas. A metade dos pacientes incluídos na pesquisa recebia também 3 cápsulas de Xenical por dia, junto com as refeições.

Comparando o grupo que tomava o Xenical com os outros pacientes não foi observada nenhuma diferença após o encerramento da pesquisa, seja em perda de peso, resistência a insulina, colesterol ou nos resultados das biopsias.

O único fator que mostrou ser benéfico na redução do nível de gordura no fígado nos dois grupos foi à redução do peso. Naqueles que perderam aproximadamente 9% do peso nas 36 semanas conseguiram uma sensível redução da gordura depositada no fígado.

Concluem os autores que por não existir nenhuma diferença que possa ser considerada significante, a utilização do medicamento em pacientes com esteatoses não deve ser recomendada.


MEU COMENTÁRIO:

Sempre insistimos que a melhor forma de tratar e esteatoses e o esforço do próprio paciente. Com uma boa dieta, baixa em calorias e um programa diário de atividades físicas, em alguns meses e possível perder peso e melhorar o estado clínico e físico, aumentando a qualidade de vida e diminuindo o grau de esteatoses no fígado.

Nunca, em nenhuma hipótese devem ser utilizadas as dietas "milagrosas" vendidas em revistas ou televisão, pois elas são pura enganação. Nessas dietas a perda e de massa muscular e a gordura passa a ser depositada no fígado, aumentando o grau de esteatoses.

Na seção ESTEATOSES da nossa página se encontra perfeitamente detalhado o que deve ser feito para tratar a esteatoses.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
"Orlistat for Overweight Subjects with Nonalcoholic Steatohepatitis (NASH): A Randomized, Prospective Trial." Harrison, Stephen; Fecht, William; Brunt, Elizabeth; Neuschwander-Tetri, Brent. Hepatology ; January 2009.


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO