030_esteatose_port

A atividade física melhora a gordura no fígado

09/09/2017

Acaba de ser publicado na revista científica "Hepatology" um estudo com o objetivo de avaliar o impacto da atividade física nas pessoas com gordura no fígado.

Na atualidade a gordura no fígado (esteatose) é a grande epidemia mundial, afetando pessoas com diabetes, pessoas acima do peso, pessoas com alimentação inadequada e pessoas sedentárias.

O estudo mostra que a atividade física consegue prevenir os depósitos de gordura no fígado, mas também comprovou que a atividade física consegue reduzir e até reverter os depósitos de gordura no fígado.

O estado da gordura no fígado (esteatose) foi avaliado por ultrassonografia e os níveis de atividade física foram acompanhados por aproximadamente 2,5 anos em 5.850 indivíduos.

Os diferentes níveis de atividade física foram catalogados como:

1 - Indivíduos que permaneceram inativos durante todos o acompanhamento;
2 - Os que começaram ativos e depois ficaram inativos;
3 - Os que começaram inativos e depois tornaram-se ativos;
4 - Os que permaneceram ativos durante os 2,5 anos do estudo.

Após 2,5 anos de seguimento os participantes foram classificados em quatro resultados possíveis:

1 - Participantes sem gordura no fígado e que permaneceu sem esteatose hepática até o final do seguimento;
2 - Participantes sem gordura no fígado que desenvolveram gordura no fígado durante o estudo;
3 - Participantes com gordura no fígado que permaneceu durante todo o estudo;
4 - Participantes com gordura no fígado que conseguiram a eliminar durante os 2,5 anos do estudo.

RESULTADOS:

Os resultados mostram que os indivíduos que no inicio do estudo não apresentavam gordura no fígado que se tornaram ou permaneceram fisicamente ativos durante o período apresentaram menor probabilidade de desenvolver gordura no fígado em comparação com aqueles que permaneceram fisicamente inativos.

Entre aqueles com gordura no fígado não início do estudo, tornar-se e permanecer fisicamente ativo melhoraram de forma benéfica o status da gordura no fígado.

Concluem os autores que níveis mais elevados de atividade física foram associados à prevenção e ao tratamento da esteatose (gordura no fígado).

MEU COMENTÁRIO


O resultado é muito importante, sugerindo que um regime de atividades físicas de aproximadamente 2,5 anos obtém efeitos benéficos que impactam na gravidade que representa a gordura no fígado. A atividade física regular é um tratamento adicional para prevenir, controlar ou reverter a gordura no fígado que o próprio paciente pode realizar.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Physical activity levels and hepatic steatosis: a longitudinal follow up study in adults - Aline Mendes Gerage, Raphael Mendes Ritti-Dias, Babu Balagopal, Raquel Dilguerian de Oliveira Conceição, Daniel Umpierre, Raul Dias dos Santos Filho, Gabriel Grizzo Cucato, Márcio Sommer Bittencourt - Hepatology - Accepted manuscript online: 30 August 2017 - DOI: 10.1111/jgh.13965


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO