008_fadiga_port

A cura da hepatite C reduz a fadiga

12/09/2016

A fadiga é um sintoma comum entre as pessoas infectadas com hepatite C, estando associada com a inflamação do fígado e a fibrose, afetando a qualidade de vida dos pacientes.

A fadiga afeta de tal forma a qualidade de vida que no ano passado a Associação Europeia para o Estudo do Fígado (EASL) recomendou que a fadiga debilitante deve estar entre as indicações para priorizar a indicação de tratamento da hepatite C.

Um estudo realizado na Dinamarca apresentado no "5th International Symposium on Hepatitis Care in Substance Users (INHSU 2016)" avaliou durante sete semanas o grau de fadiga em 56 infectados com hepatite C e usuários de drogas conforme a utilização de diversas escalas "Fatigue Severity Scale (FSS)", "Functional Assessment of Chronic Illness Therapy-Fatigue (FACIT-F)" e "Fatigue Visual Analog Scale (VAS-F)".

No total 67,9% dos participantes relataram fadiga clinicamente significativa. A fadiga não foi associada com o uso de drogas atual ou anterior. A fibrose média encontrada nos pacientes foi de 12 kPa medida pela Elastografia. A fadiga foi significativamente associada com a severidade da doença.

Os pacientes com uma pontuação nas Elastografia acima de 12 kPa, indicando uma alta probabilidade de fibrose avançada (estágio F3) ou cirrose (F4), tinham quase seis vezes maior probabilidade de fadiga.

Os homens com a transaminase ALT acima de 30 e nas mulheres com transaminase ALT acima de 19 tinham cinco vezes maior probabilidade de fadiga.

Após 12 semanas de finalizado o tratamento, confirmando a cura da hepatite C, em todos os pacientes foi encontrada uma melhora substancial da fadiga.

Os pesquisadores concluíram que a fadiga em pessoas vivendo com hepatite C não pode ser apenas explicada pelo uso de drogas ou terapia de substituição de opiáceos, mas poderia estar ligada a medidas relacionadas com a hepatite C, incluindo inflamação do fígado, fibrose e resposta ao tratamento sustentado.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Fatigue in patients with chronic hepatitis C: the FAT-HEP study. A cross sectional study of fatigue and its relation to substance use and OST - R Thornhøj, A Riis, JF Hansen, et al. - 5th International Symposium on Hepatitis Care in Substance Users (INHSU 2016). Oslo, September 7-9, 2016.


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO