003_fibrose_port

Qual o grau de fibrose ou cirrose dos atuais infectados com hepatite C?

01/07/2013

Os Hospitais dos veteranos de guerra dos Estados Unidos realizaram um levantamento analisando 102.851 infectados com o genótipo 1 da hepatite C, 98% homens com idade média de 58 anos para encontrar qual a situação clínica dos atuais infectados com hepatite C.

Em 02 de novembro de 2012 o Grupo Otimismo realizou uma pesquisa similar entre seus associados para saber qual o grau de fibrose em que se encontravam, publicada em http://www.hepato.com/p_otimismo/bomba_viral_explodindo.html e agora os hospitais do Veteranos de Guerra realizaram um estudo similar, com maior numero de infectados.

No total 560 responderam o questionário do Grupo Otimismo encontrando que:

- Com fibrose mínima ou moderada (F0, F1 ou F2) se encontravam 237 pacientes, representando 42,32% do total;

- Com fibrose avançada (F3) se encontravam 148 pacientes, representando 26,43% do total;

- Com cirrose (F4) se encontravam 175 pacientes, representando 31,25% do total.

Colocamos na ocasião que seria interessante se as sociedades de hepatologia e infectologia solicitassem a seus membros para realizar um levantamento semelhante para poder traçar um quadro de como estamos em cada região do Brasil. É fácil de realizar, pois os dados constam dos prontuários.

Não recebemos resposta, mas os Hospitais dos veteranos de guerra dos Estados Unidos fez tal levantamento analisando 102.851 infectados com o genótipo 1 da hepatite C, 98% homens com idade média de 58 anos.

O resultado deles é praticamente o mesmo que encontramos na nossa pesquisa com infectados brasileiros. Esses são os resultados encontrados entre os veteranos de guerra dos Estados Unidos:

- Com fibrose F0 se encontram 4,2% dos infectados.

- Com fibrose F1 se encontram 18% dos infectados.

- Com fibrose F2 se encontram 22,2% dos infectados.

- Com fibrose F3 se encontram 27,6% dos infectados.

- Com fibrose F4 (cirrose) se encontram 28% dos infectados.

COMPARANDO ESTADOS UNIDOS E BRASIL

- Com fibrose mínima ou moderada (F0, F1 ou F2) no Brasil encontramos 42,32% dos infectados, contra 44,4% encontrado nos Estados Unidos.

- Com fibrose avançada (F3) no Brasil encontramos 26,43% dos infectados, contra 22,2% encontrado nos Estados Unidos.

- Com cirrose (F4) no Brasil encontramos 31,25% dos infectados, contra 28% encontrado nos Estados Unidos.

RESUMINDO

A situação no Brasil é tão grave como a dos Estados Unidos, onde entre 57,7% no Brasil e 50,2% nos Estados Unidos dos infectados com hepatite C já se encontram com fibrose avançada ou cirrose. Esses pacientes caso não recebam tratamento adequado imediatamente correm sérios riscos de evoluir para uma cirrose descompensada, um câncer de fígado e provavelmente a morte.

Estados Unidos, atento ao problema, está realizando uma gigantesca campanha de diagnostico oferecendo o teste a todas as pessoas com idade entre 40 e 65 anos de idade, objetivando até o final de 2014 encontrar entre 600.000 e 800.000 infectados, oferecendo tratamento a todos aqueles que o necessitem. Ao realizar cálculos de custo beneficio encontraram que é mais barato diagnosticar e tratar que arcar com as consequências econômicas e sociais da progressão da doença.

Ao mesmo tempo o Grupo Otimismo fica orgulhoso de seus associados ao ter conseguido um resultado na sua pesquisa que agora é corroborado com os resultados dos Estados Unidos.

Volto a insistir com as sociedades médicas de hepatologia e infectologia sobre a necessidade de tal levantamento, pois é importante saber qual é a situação atual dos infectados e com isso poder trealizar ações concretas de saúde pública, pois se poucos anos atrás falávamos que estávamos sentados acima de uma bomba viral prestes a explodir o melhor a ser feito é se levantar, pois o pavio está acesso e a bomba viral já começou a explodir.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Dados dos Estados Unidos constantes em: Cost-Effectiveness Analysis of Direct-Acting Antiviral Therapy for Treatment-Naïve Patients with Chronic Hepatitis C Genotype 1 Infection in the Veterans Health Administration - Kee Chan, PhD, Mai Ngan Lai, MD, Erik J. Groessl, PhD, Amresh D. Hanchate, PhD, John B. Wong, MD, Jack A. Clark, PhD, Steven M. Asch, MD MPH, Allen L. Gifford, MD, and Samuel B. Ho, MD - Clinical Gastroenterology and Hepatology June 2013 - Accepted Manuscript


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO