009_fibrose_port

É possível prever a progressão da fibrose e cirrose?

13/10/2009

Um dos maiores desafios, ou talvez a maior incógnita na hepatite C, é saber como a doença pode avançar, qual será a progressão do dano hepático. Ainda não existe uma formula capaz de dar uma resposta para todos os infectados, mas a cada dia é possível por meio da observação estatística poder prognosticar por meio de algumas variáveis, o que poderá acelerar ou retardar o dano no fígado em alguns grupos de pacientes.

Um estudo publicado na revista Gastroenterology que analisou dados multivariados do estudo HALT-C conseguiu encontrar alguns fatores preditivos para prognosticar em alguns pacientes como calcular a progressão do dano no fígado.

Observando os dados de eventos como a ascite, peritonite bacteriana, índice Child-Pugh, hemorragias das varizes do esôfago, encefalopatia, mortes e laudos das biopsias de 1.050 pacientes do estudo que apresentavam fibrose elevada ou cirrose durante um período de 3,5 anos os pesquisadores observaram que três fatores poderiam ser considerados como independentes para monitorar e aconselhar os pacientes e para determinar a freqüência com que deveriam ser avaliados.

Foram observados os resultados durante o período ao comparar níveis iniciais com os resultantes com o correr do tempo das transaminases aumentando, a albumina diminuindo, o número de plaquetas diminuindo, a bilirrubina total mais elevada e o grau de fibroses mais elevado, os quais influíam diretamente no prognostico desses pacientes com fibrose elevada ou cirrose.

Após 3,5 anos de observação somente 2% dos pacientes do grupo de baixo risco, isto é que não apresentou as variações citadas no parágrafo anterior tiveram um aumento no grau de fibrose ou cirrose. Já 65% dos pacientes que apresentaram as variações citadas progrediram no dano no fígado.

Os fatores que mais afetaram os resultados dos exames nos pacientes foram possuir peso acima do normal, apresentar esteatose (depósitos de gordura no fígado) e uma contagem baixa no número de plaquetas.

Concluem os autores que o risco de complicações em pacientes com fibrose avançada ou cirrose pode ser previsto usando testes simples de laboratório, mudando com os resultados a estratégia de atendimento em relação à freqüência das consultas e exames.

MEU COMENTÁRIO:

Todos podem observar que existem dois fatores que podem ser alterados, pois dependem do próprio paciente. Eles são o peso corporal que deve ser mantido dentro do normal ou um pouco abaixo dele e o controle da esteatoses, da qual podem aprender a cuidar com uma leitura da seção ESTEATOSES desta nossa página www.hepato.com

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Gastroenterology. 2009 - Published online 22 September 2009 - Predicting Clinical and Histological Outcomes Based on Standard Laboratory Tests In Advanced Chronic Hepatitis C. - Ghany MG, Lok AS, Everhart JE, Everson GT, Lee WM, Curto TM, Wright EC, Stoddard AM, Sterling RK, Di Bisceglie AM, Bonkovsky HL, Morishima C, Morgan TR, Dienstag JL; HALT-C Trial Group.


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO