020_hbv_port

Hepatite B - Tratamento com tenofovir ou entecavir reduz a mortalidade, mas não o risco de câncer de fígado

08/06/2015

O entecavir foi aprovado para tratamento da hepatite B em 2005 e o tenofovir em 2008, por tanto não existem dados de longo prazo sobre os benefícios desses medicamentos, também, a maioria dos estudos foram realizados em pacientes asiáticos por ser a hepatite B um grave problema nessa região. No EASL 2015 foi apresentado um estudo realizado na Grécia com pacientes na sua totalidade brancos de nove países da Europa, Canadá e Turquia, incluindo na análise 1.815 infectados.

No inicio do estudo a média de idade era de 53 anos, 28% tinham cirrose compensada, nenhum tinha cirrose e já se se encontravam em tratamento pelo menos 12 meses antes.

Após cinco anos de acompanhamento do tratamento com entecavir ou tenofovir foi encontrado o seguinte:

- No total dos pacientes, as taxas de expectativa de vida em pacientes sem transplante de fígado foram elevadas em geral, de 99,5% em 1 ano, 98,5% em 2 anos, 97,5% em 3 anos e de 95% passados cinco anos de tratamento.

- Ao comparar pacientes com cirrose com pacientes sem cirrose foi encontrado que no primeiro ano 100% dos sem cirrose permaneciam vivos contra 98% dos com cirrose, aos 2 anos 99% dos sem cirrose e 96,5% dos com cirrose permaneciam vivos, aos três anos 98,5% dos sem cirrose e 95% dos com cirrose e, aos cinco anos 97% dos sem cirrose e 92% dos com cirrose, respectivamente.

Entre os 85 pacientes que desenvolveram câncer de fígado as taxas de óbitos após o diagnostico do câncer foram muito elevadas, 76% permaneciam vivos após 1 ano do diagnostico e somente 56% continuavam vivos após 3 anos de diagnosticado o câncer de fígado, não existindo diferença entre os sem cirrose ou com cirrose.

Concluem os pesquisadores a sobrevida de infectados brancos com hepatite B tratados com entecavir ou tenofovir é excelente, acima de 95% após cinco anos de tratamento, com uma diminuição significativa de mortes relacionadas ao fígado, no entanto a possibilidade de desenvolvimento de câncer de fígado é um fator importante que afeta a mortalidade nesses doentes.

MEUS COMENTÁRIOS

Os resultados mostram a importância de iniciar o tratamento da hepatite B quanto antes, antes do paciente desenvolver cirrose, pois dessa forma a sobrevida é maior.

Atualmente o tratamento combinando interferon peguilado com entecavir ou tenofovir esta sendo considerada uma opção excelente em determinados grupos de infectados.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Excellent 5-Year Survival in Caucasian Chronic Hepatitis B (CHB) Patients with or without Cirrhosis under Long-term Entecavir (ETV) or Tenofovir (TDF) Therapy and the Impact of Hepatocellular Carcinoma (HCC) - G Papatheodoridis, G Dalekos, C Yurdaydin, P Lampertico, et al. - EASL 2015 - Abstract P0641


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO