023_hbv_port

Novos paradigmas no tratamento da hepatite B

18/10/2015

A hepatite B na sua forma crônica afeta aproximadamente 350 milhões de pessoas no mundo, uma doença viral com alto risco de ocasionar danos hepáticos terminais e câncer de fígado.

Estudo publicado no "British Medical Bulletin" fez uma revisão da literatura científica e analisou as apresentações de trabalhos feitas em congressos internacionais.

Considerando que poucos anos atrás somente existia a lamivudina e com a chegada do interferon peguilado e dos medicamentos orais como adefovir, tenofovir e entecavir o avanço no tratamento foi significante.

O tratamento com interferon peguilado tem a vantagem que oferece a possibilidade de uma terapia com tempo determinado, de 48 semanas, tendo como desvantagem ser um tratamento injetável e, ainda, não tolerado por pacientes com cirrose. É o único tratamento com o qual podemos arriscar a palavra cura em 8% dos pacientes. Oito por cento parece pouco, mas é bom lembrar que em 1995 somente 7% curavam a hepatite C e hoje passamos dos 90%. Oito por cento já é o ponto de partida!

O tratamento com os medicamentos orais é simples e com mínimos efeitos colaterais, mas nunca se sabe com certeza quando será possível parar.

Fica evidente que apesar de avanços significativos no tratamento da hepatite B são necessários tratamentos mais eficazes e também novos testes virologicos para acompanhar o tratamento.

Novos medicamentos estão em fases promissoras de investigação, entre os quais se incluem inibidores da entrada do vírus nas células do fígado, drogas que interferem no RNA do vírus, pequenas moléculas que modulam a transcrição do cccDNA, assim como novas drogas inmunomoduladoras que aumentam a resposta das células T de defesa do organismo, especificas para atacar o vírus da hepatite B.

Afortunadamente a cura da hepatite B é uma questão de tempo.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
New paradigms in hepatitis B management: only diamonds are forever - Coffin CS, Lee SS - British Medical Bulletin - 2015 Sep 15. pii: ldv039.


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO