032_hbv_port

Falando da Hepatite B

05/09/2016

A maioria das pessoas infectadas com hepatite B não sabem que estão infectadas.

As pessoas com hepatite B têm um elevado risco de desenvolvimento de câncer no fígado, cirrose, insuficiência hepática e até de morte por problemas relacionados ao fígado.

A maioria das pessoas com hepatite B crônica foram infectados no nascimento ou durante os primeiros anos de suas vidas. Nestas pessoas, a hepatite B é geralmente assintomática e apenas no momento do desenvolvimento de câncer no fígado ou quando da insuficiência hepática, o que geralmente acontece aos 50 anos de idade neste grupo de infectados, é que aparecem sintomas.

Pessoas infectadas quando adultos são bem menos propensas a desenvolver hepatite B crónica, sendo mais propensos a apresentar sintomas no momento da infecção, apresentando icterícia (olhos de cor amarela e urina escura) e a maioria recupera a imunidade, curando de forma espontânea.

Ao contrário da infecção por hepatite C, em que a doença hepática progride de forma similar na maioria dos pacientes, a hepatite B crónica passa por diferentes fases, a partir de imuno tolerância (carga viral alta, sem doença do fígado), depois para a fase ativa imunológica (doença hepática ativa), em seguida, inativa (carga viral baixa e transaminase ALT normal). Além disso, os pacientes podem voltar para trás de inativo para ativo imunitário, exigindo que todos os pacientes com hepatite B sejam monitorados pelo menos uma vez a cada ano.

O tratamento é recomendado por diretrizes baseadas em evidências atuais para aqueles com a transaminase ALT elevada e carga viral HBV DNA acima de 2.000 UI / ml que possuam evidências de inflamação, pelo menos, moderada ou severa ou com fibrose.

O tratamento da hepatite B é realizado com medicamentos que conseguem controlar a doença, evitando na maioria dos casos que ela evolua para cirrose ou câncer no fígado. O tratamento em geral é por tempo indeterminado devendo o paciente tomar todos os dias os medicamentos.

Existe vacina para evitar a hepatite B. A vacina é altamente efetiva e no Brasil é encontrada gratuitamente nos postos e unidades de saúde para pessoas de qualquer idade. É obrigatório que toda criança ao nascer receba no mesmo dia a vacina. São necessárias três doses para apresentar imunidade, a segunda dose trinta dias após a primeira e a terceira dose 180 dias após.

Na próxima consulta médica as pessoas deveriam solicitar aos profissionais de saúde a realização do teste da hepatite B. Se não possuir imunidade é necessário se vacinar e, se for diagnosticado com hepatite B o infectado deve procurar imediatamente um médico infectologista ou um profissional capacitado no tratamento da hepatite B.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO