003_hiv_port

Baixos níveis de vitamina D estão associados com maior fibrose hepática e menor possibilidade de cura da hepatite C nos co-infectados HIV/HCV

30/04/2012

Infectados com hepatite C geralmente apresentam níveis baixos de vitamina D e tal condição parece estar associada a uma menor possibilidade de cura ao realizar o tratamento com interferon e ribavirina. Tal impacto ainda não foi estudado em indivíduos co-infectados com HIV e hepatite C.

Os pesquisadores estudaram 95 pacientes co-infectados HIV/HCV nos quais foram realizados testes de carga viral do HCV, genótipo, IL28B, nível de vitamina D e a realização da biopsia do fígado.

Foi possível avaliar a resposta ao final do tratamento e a resposta sustentada (seis meses após o final do tratamento) de 74 desses pacientes, tratados com interferon peguilado e ribavirina.

De acordo com o nível de vitamina D, determinada pelo teste "25-hidroxi-vitamina D" realizado ao iniciar o tratamento os pacientes foram divididos em grupos considerados como em nível normal os que apresentavam resultados acima de 30 mcg/L, considerando com nível insuficiente os que apresentavam entre 10 e 30 mcg/L e, como deficientes os que apresentavam um resultado inferior a 10 mcg/L.

Apenas 17% dos pacientes apresentavam um nível normal de vitamina D, 58% apresentavam insuficiência e 25% deficiência.

A atividade necro inflamatória encontrada nas biopsias mostrou que se encontravam na escala Metavir A2 33% dos pacientes com deficiência de vitamina D, 14% dos que apresentavam insuficiência e zero % dos que apresentavam níveis normais.

Ao final do tratamento se encontravam indetectáveis 53% dos pacientes com deficiência de vitamina D, 83% dos que apresentavam insuficiência e 93% dos que apresentavam níveis normais de vitamina D.

A resposta sustentada, considerada a cura da hepatite C, foi de 38% dos pacientes com deficiência de vitamina D, 55% dos que apresentavam insuficiência e 73% dos que apresentavam níveis normais de vitamina D.

Naqueles pacientes que o resultado do teste IL28B foi CT ou TT a possibilidade de sucesso com o tratamento foi de 13% dos pacientes com deficiência de vitamina D, 53% dos que apresentavam insuficiência e 83% dos que apresentavam níveis normais de vitamina D.

Entre os que na biopsia apresentavam fibrose elevada ou cirrose a possibilidade cura com o tratamento foi de 20% dos pacientes com deficiência de vitamina D, 50% dos que apresentavam insuficiência e 50% dos que apresentavam níveis normais de vitamina D.

Concluem os pesquisadores que níveis baixos de vitamina D, medida pelo teste "25-hidroxi-vitamina D" estão associados com uma progressão mais rápida da fibrose nos indivíduos co-infectados HIV/HCV e a possibilidade de cura ao realizar o tratamento com interferon peguilado e ribavirina é prejudicada nos pacientes com níveis baixos da vitamina D, especialmente naqueles pacientes considerados mais difíceis de tratar.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Low vitamin d serum levels are associated with liver fibrosis and impaired virologic response to antiviral therapy with pegifn+rbv in hiv/hcv coinfected patients - M. Mandorfer, T. Reiberger, B.A. Payer, A. Ferlitsch, F. Breitenecker, M.C. Aichelburg, B. Obermayer-Pietsch, A. Rieger, M. Peck-Radosavljevic - EASL 2012 - Abstract 907


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO