016_hiv_port

Mais de 2 milhões de pessoas co-infectadas com HIV e hepatite C

14/03/2016

Estima-se que 2,3 milhões de pessoas que vivem com HIV estão co-infectados com o vírus da hepatite C (HCV) a nível mundial.

O estudo da "University of Bristol and the London School of Hygiene & Tropical Medicine" também descobriu que as pessoas infectadas pelo HIV possuim, em média, seis vezes mais probabilidades do que as pessoas não infectadas pelo HIV a ter a infecção pelo HCV, apontando para a necessidade de melhorar os serviços especializados de cuidados aos co-infectados.

HIV e infecções por HCV são os principais problemas de saúde pública mundial, com modos de sobreposição de transmissão e populações afetadas.

Globalmente, há 37 milhões de pessoas infectadas com o HIV, e cerca de 115 milhões de pessoas com infecção crônica por hepatite C. No entanto, muito pouco se conhece sobre a extensão da co-infecção HIV/HCV antes deste estudo, que foi o primeiro estudo global de sua espécie.

Patrocinado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o estudo foi publicado online no The Lancet Infectious Diseases em 24 de fevereiro que encomendou o estudo para informar uma atualização de suas diretrizes sobre o diagnostico de co-infecções e início da terapia anti-retroviral, e encontrar estratégias nacionais e regionais de diagnostico e gestão da hepatite C.

O estudo revisou 783 estudos médicos publicados nas principais revistas científicas para construir a primeira estimativa global sobre a prevalência da hepatite C em indivíduos HIV positivos.

Entre os indivíduos HIV positivos foi encontrado que a probabilidade de estar infectados com hepatite C é seis vezes maior que em indivíduos sem HIV, em todos os grupos de risco, mas especialmente entre usuários de drogas injetáveis.

Melhoria na vigilância na hepatite C e no HIV é imperativo para ajudar a definir a epidemiologia da co-infecção e informar políticas adequadas para testes, prevenção, cuidados e tratamento aos necessitados.

Recomendam os autores que há uma necessidade urgente de expandir o teste de rotina para diagnosticar a infecção pelo HCV em programas de HIV em todo o mundo, especialmente entre grupos de alto risco, como o primeiro passo para acessar aos novos tratamentos da hepatite C altamente curativos.

O artigo completo está disponível em: http://www.thelancet.com/journals/laninf/article/PIIS1473-3099(15)00485-5/fulltext

MEU COMENTÁRIO

O resultado do estudo mostra a importância de teste da hepatite C em todos os indivíduos infectados pelo HIV.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
- Prevalence and burden of HCV co-infection in people living with HIV: a global systematic review and meta-analysis - Lucy Platt, Philippa Easterbrook, Erin Gower, Bethan McDonald, Keith Sabin, Catherine McGowan, Irini Yanny, Homie Razavi, Peter Vickerman - The Lancet Infectious Diseases - Published Online: 24 February 2016

- Release da University of Bristol


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO