003_imune_port

Entendendo os leucócitos - Glóbulos brancos

21/03/2005

Os leucócitos ou glóbulos brancos são células que estão principalmente no sangue e circulam por ela com a função de combater as infecções ou corpos estranhos; mas em ocasiões podem atacar os tecidos do próprio corpo. É uma parte das defesas imunológicas do corpo humano.

Chamam-se glóbulos brancos já que esta e a cor é o seu aspecto ao microscópio.

Há diferentes grupos de glóbulos brancos: chamados de polimorfonucleares (neutrófilos, eosinófilos e os basófilos) e os mononucleares (os linfócitos e os monócitos).

A origem de todas as formas de leucócitos é a partir de células mães da medula óssea.

A modificação da quantidade de leucócitos pode orientar o diagnóstico de doenças infecciosas, inflamatórias, câncer e leucemias, e outros processos. Por isto a recontagem é muito importante no diagnostico de diferentes doenças. Além disso, a percentagem de cada grupo de leucócitos oferecerá ao médico uma maior informação para poder realizar um diagnóstico preciso.

Quando na medição de leucócitos se vêem células jovens aparecem os neutrófilos em forma de núcleo em forma de bastão, e um aumento da percentagem dos glóbulos brancos polimorfonucleares, isto se denomina como separação "à esquerda". Este termo sugere infecções bacterianas agudas.

O estudo dos leucócitos se realiza no hemograma com recontagem leucocitario completo. Para realizar esta análise não se precisa estar em jejum.

Os valores considerados normais no homem adulto são de 4,5 a 10 mil/mm3 e na mulher adulta de 4,5 a 10 mil/mm3

Um número diminuído de leucócitos (leucopenia) podem aparecer em certas doenças: Falha da medula óssea (por tumores, fibroses, intoxicação, etc...), Doenças auto-imunes (Lúpus, etc...), Doenças do fígado ou rim, Exposição a radiações, Presença de substâncias citotóxicas, entre outros.

Um número aumentado de leucócitos (leucocitose) pode dever-se a: Pele danificada em queimaduras, Doenças infecciosas, Doenças inflamatórias (por auto-imunidade, reumáticas ou por alergia) Estresse, Leucemia, entre outros.

Alguns medicamentos podem aumentar o número de leucócitos, entre eles temos os seguintes: Alopurinol, Epinefrina ou adrenalina, Cortisona, Clorofórmio, Heparina e Quinina, entre outros.

Outros medicamentos podem diminuir o número de leucócitos: Antibióticos, Anticonvulsivantes, Anti-histamínicos, Anti-tiroideos, Arsenicales, Barbitúricos, Diuréticos, Quimioterápicos e Sulfonamidas.

Há diferentes grupos de glóbulos brancos, chamados de polimorfonucleares (neutrófilos, eosinófilos e basófilos) e os mononucleares (linfócitos e monocitos).

Os leucócitos neutrófilos são os mais numerosos e percentualmente os mais significativos que se encontram. Sua função é a fagocitose que se entende como se fora uma absorção e digestão de substâncias estranhas (bactérias, corpos estranhos, tecidos etc,). As formas imaturas que aparecem quando há um estímulo intenso medular para sua produção se chamam bastões (pela forma do núcleo); e indicam a existência de atividade intensa das defesas contra infecções por bactérias.

Os leucócitos eosinófilos se chamam assim pela cor vermelha no qual aparecem ao microscópio por uma coloração da eosina. Se encontram elevados em certas doenças causadas por alergia ou por infecções parasitárias.

Os basófilos tem um comportamento similar.

Os leucócitos mononucleados são os linfócitos e os monócitos. Têm um núcleo celular único e pequeno. Suas funções são a de combater infecções por vírus e bacterianas crônicas.

A modificação da percentagem de leucócitos pode orientar ao diagnóstico de doenças infecciosas, inflamatórias, e outros processos.

Quando na medição de leucócitos se vêem células jovens aparecem os neutrófilos em forma de núcleo em forma de bastão, e um aumento da percentagem dos glóbulos brancos polimorfonucleares. isto se denomina como "separação à esquerda". Este termo sugere infecções bacterianas agudas.

A "separação à direita" diz-se quando a percentagem de linfócitos e monócitos se encontra aumentada com respeito ao dos polimorfonucleares (neutrófilos, eosinófilos e basófilos), associa-se em geral a doenças virais.

A eosinofília, que é o aumento da percentagem ou do número total de eosinófilos, sugere um quadro alérgico ou uma infecção parasitária.

A recontagem de leucócitos se realiza habitualmente em um hemograma com recontagem leucocitario completo.

Um aumento do número de leucócitos neutrófilos (neutrofilia) sugere: Estresse, Infecção bacteriana, Doenças inflamatórias crônicas, reumatismos, Leucemia, Traumatismos, entre outros.

Uma diminuição do número de leucócitos neutrófilos (neutropenia) pode aparecer em: Anemia aplástica, Alterações na alimentação, Infecções por vírus, Medicamentos, Rádio e quimioterapia, entre outros.

A elevação do número de linfócitos (linfócitosis) aparece em: Infecções bacterianas crônicas, Infecções por vírus, Leucemias, Mononucleosis infecciosa, Hepatite, entre outros.

A diminuição do número de linfócitos (linfopenia) aparece em: Infecções avançadas do HIV, Imunodeficiências, Leucemias, Lúpus eritematoso espalhado, Radioterapia, Sepsis, entre outros.

A elevação do número de monócitos (monócitosis) aparece em: Doenças inflamatórias crônicas, Infecções por vírus, Tuberculose, Monocleoses infecciosa, Malária, entre outros.

A diminuição do número de monócitos (monocitopenia) pode ser ocasionada pelo uso de Cortisona e ouros medicamentos.

A elevação do número de basófilos (basofília) pode aparecer em casos de Leucemia.

A diminuição do número de basófilos (basopenia) aparece em: Anafilaxia, Estresse, Hipertiroidismo, entre outros.

O aumento do número de eosinófilos (eosinofília) aparece em: Doenças alérgicas e auto-imunes, Asma bronquial, Urticária, Edema angioneurótico, Rinite extrínseca, Alergias alimentares, Colagenosis eosinofílica, Dermatomiosites, Colite ulcerosa, Púrpura anafilactoide, Doenças do soro, Infecções e parasitoses, Dermatite herpetiforme, Neurodermitis, dermatite atópica, Leucemias, Anemias, Enfermidade do Hodgkin, Neoplasias, Eosinofilia familiar de herança recessiva, Picadas de insetos e serpentes, Medicamentos, entre outros.

A diminuição do número de eosinófilos (eosinopenia) aparece com o uuo de Corticoides endógenos ou exógenos, Intoxicação por álcool e uso de Medicamentos, entre outros.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO