002_medicamentos_port

Qual interferon consegue manter o paciente curado por mais tempo?

15/07/2013

Em estudo realizado na Alemanha foram incluídos 636 pacientes que resultaram curados realizando o tratamento com interferon convencional (IFN ?-2b) e 366 pacientes curados após o tratamento com interferon peguilado (PEG-IFN ?-2b).

Todos eles foram seguidos por cinco anos após a confirmação da resposta sustentada (após seis meses do final do tratamento) objetivando observar a recidiva do vírus. Recidiva é quando um paciente negativado volta a ter a presença do vírus no organismo.

Entre os 636 pacientes curados com o tratamento de interferon convencional seis apresentaram recidiva nos cinco anos seguintes, representado uma possibilidade de 0,0094% de o vírus voltar a infectar o paciente.

Entre os 336 pacientes curados com o tratamento de interferon peguilado três apresentaram recidiva nos cinco anos seguintes, representado uma possibilidade de 0,0089% de o vírus voltar a infectar o paciente.

Concluem os pesquisadores que o sucesso do tratamento da hepatite C com interferon convencional ou interferon peguilado, quando obtida a resposta sustentada e o paciente se encontra indetectável aos seis meses após o final do tratamento, leva a cura clínica definitiva da hepatite C na maioria dos casos.

MEU COMENTÁRIO

É gratificante constatar que nos pacientes negativados aos seis meses após o final do tratamento tratados com o velho interferon convencional, aquele que se aplicava três vezes por semana, passados cinco anos 99.2% permanecem curados, sem a presença do vírus e, entre os tratados com interferon peguilado 99.4% também continuam curados.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Long-term clearance of hepatitis C virus following interferon ?-2b or peginterferon ?-2b, alone or in combination with ribavirin - Manns MP, Pockros PJ, Norkrans G, Smith CI, Morgan TR, Häussinger D, Shiffman ML, Hadziyannis SJ, Schmidt WN, Jacobson IM, Bárcena R, Schiff ER,Shaikh OS, Bacon B, Marcellin P, Deng W, Esteban-Mur R, Poynard T, Pedicone LD, Brass CA, Albrecht JK, Gordon SC. - J Viral Hepat. 2013 Aug;20(8):524-9. doi: 10.1111/jvh.12074


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO