005_medicamentos_port

Perda do tratamento da hepatite B por falta de adesão

27/02/2012

Adesão a um tratamento significa respeitar as doses e horários indicados pelo médico. Todo medicamento possui um ciclo de atividade, assim sendo, esquecer doses ou mudar os horários faz com que a atividade do medicamento diminua ou até seja perdida, dando oportunidade a que os vírus se reproduzam ou desenvolvam resistência ao medicamento.

Uma pesquisa publicada no "Journal of Viral Hepatitis" estudo o que acontece no tratamento da hepatite B em pacientes que estão tomando os medicamentos orais, correlacionando a reativação do vírus em função da aderência ao tratamento.

Um grupo de pacientes deveria preencher um formulário a cada três meses e os pacientes do outro grupo eram entrevistados pelos médicos na consulta trimestral de acompanhamento. A pesquisa teve uma duração de três trimestres para cada paciente.

A taxa de adesão foi medida como um percentual dos dias em que os pacientes tomaram os medicamentos nos últimos 30 dias do trimestre.

Entre os pacientes que responderam preenchendo o formulário um 74,1% responderam que tomaram diariamente o medicamento, com adesão de 100%. Entre os pacientes que eram entrevistados pelos médicos a adesão de 100% foi relatada por 83,9% dos pacientes.

O resultado mostra que entre os pacientes que nos nove meses observados completaram o tratamento com 100% de adesão, 2,2% desenvolveram resistência ao medicamento que estavam tomando. Entre os pacientes que relataram 100% de adesão em dois dos três trimestres, a resistência viral aconteceu em 5,6% dos pacientes. E entre os pacientes em que adesão de 100% foi relatada em somente um dos três trimestres a resistência viral foi de 18,8%.

Os pacientes de maior idade tiveram maior responsabilidade, estando entre os que relataram 100% de adesão ao tratamento, assim como aconteceu com os pacientes de maior renda familiar.

Concluem os autores que a adesão dos pacientes foi relativamente boa, mas que o percentual maior observado entre os que eram entrevistados pelo médico durante a consulta pode não ser verdadeiro, devido ao constrangimento de ter que declararem que se esqueceram de tomar os medicamentos.

MEU COMENTÁRIO:

Os pesquisadores não informam quais os medicamentos orais que os pacientes estavam utilizando, mas como todos eles são com indicação de um comprimido por dia é um dato sem significado numa pesquisa cujo objetivo era conhecer a adesão dos pacientes ao tratamento.

O sucesso ou a perda do tratamento depende muito da responsabilidade do paciente. Pode parecer incomodo ter que tomar medicamentos em horas determinadas, mas isso não é por acaso nem por capricho do médico, é simplesmente pela cinética do vírus e o tempo de ação dos medicamentos.

Em qualquer tratamento, de qualquer doença, a adesão é fundamental para o sucesso com o tratamento!


Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Adherence to nucleos(t)ide analogues for chronic hepatitis B in clinical practice and correlation with virological breakthroughs - Chotiyaputta, W.; Hongthanakorn, C.; Oberhelman, K.; Fontana, R. J.; Licari, T.; Lok, A. S. F. - Journal of Viral Hepatitis, Volume 19, Number 3, 1 March 2012 , pp. 205-212(8)


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO