001_obesidade_port

Qual é o melhor exercício para perder peso

02/10/2006

Resultados de um estudo da Universidade do Duke, Estados Unidos mostra que as atividades aeróbicas e as que envolvem a um maior número de músculos são as mais efetivas para queimar calorias.


Nova Iorque. - As pessoas que praticam exercício físico dão muitas razões sobre por que o fazem.. Afirmam que essa prática pode melhorar sua saúde, seu estado de ânimo e sua vitalidade. Mas para muitos, é o desejo de descer de peso ou de mantê-lo controlado a motivação principal.

Mas, o que tem que certo sobre o exercício físico e o peso, e como podemos calcular o valor calórico de diversas atividades? Na última edição do boletim "Notícias Certificadas" do Conselho Norte-americano sobre o Exercício, Ralph LaForge, da Universidade de Duke, realizou uma análise dos diversos fatores que gravitam sobre o efeito do exercício na perda de peso.

Segundo LaForge, correr permite queimar quase duas vezes mais gordura que a que se elimina quando se percorre a mesma distância caminhando a passo moderado. Mas o peso inicial de uma pessoa também é um fator importante: se a gente pesar menos de 70 quilogramas, a eliminação de gorduras é proporcionalmente menor que se a gente pesar mais de 70 quilogramas.

Se a pessoa caminha na rua ou corre sobre uma esteira, a assistência da máquina reduz a quantidade de gordura que o corpo elimina num valor menor a 10 ou 15% do que a máquina informa que alguém está queimando. LaForge advertiu que existe um aspecto positivo: "A vantagem mecânica de alguns aparelhos melhora a facilidade e outorga comodidade para realizar exercícios e reduz o impacto e o estresse osteomuscular".

Além disso, com tempo ruim e a pessoa não pode ou é resistente a praticar exercício ao ar livre, poder fazê-lo baixo teto poderia significar que alguém elimina mais gordura da que eliminaria de outra maneira. A duração e a intensidade da atividade física são fatores importantes: quanto mais intenso e prolongado é o exercício, mais gordura queimará uma pessoa.

Os exercícios com sobrecarga que operam contra a força de gravidade -atividades aeróbicas como caminhar, correr, dançar, patinar ou subir escadas- eliminam proporcionalmente, a certo nível de esforço, mais quantidade de gordura que a prática da natação, o ciclismo ou a ginástica aquática.

Quanto mais músculos intervêm no exercício, mais gordura uma pessoa tende a eliminar. Por isso operar contra a força de gravidade elimina mais gordura que as atividades sem sobrecarga. Mas como as atividades como a natação reduzem a tensão sobre os membros com sobrecarga, muita gente pode as realizar durante períodos mais largos, compensando a menor eliminação calórica.

Se o exercício inclui subir por colinas, uma pessoa queimará mais gordura por minuto que se praticar esses exercícios sobre um terreno plano.

LaForge expressou que a habilidade para realizar a atividade física escolhida também gravita na eliminação de gordura. Quem possui menos experiência na pratica do exercício realiza movimentos desnecessários ou têm que esforçar-se mais durante a atividade, queimando mais gordura por hora que aqueles que a realizam de maneira eficiente.

Efeitos prolongados

Outro fator que influi na eliminação de gordura é o número cada vez maior de calorias que o corpo utiliza depois de um exercício. Tanto os exercícios aeróbicos como os de resistência aumentam o gasto de energia durante as 12 ou 24 horas seguintes, mas a margem é muito ampla, equivalendo entre 10 e 150 calorias conforme o tipo de atividade física, sua duração e a intensidade com que se praticou.

As pessoas que têm sobrepeso ou que são obesas queimam mais gordura proporcionalmente realizando a mesma atividade durante o mesmo período e com a mesma intensidade que as que têm um peso normal. Mas alguns compensam a gordura queimada comendo mais ou esforçando-se menos. Se a causa do exercício excessivo o cansaço e muito grande, um indivíduo pode reduzir sua atividade rotineira durante o resto do dia, limitando o benefício calórico de seu exercício físico.

Ou se a gente souber que queimou o equivalente em gordura de 300 calorias durante seus exercícios matinais poderia, conscientemente ou não, as compensar comendo mais esse dia. Por outra parte, muitas pessoas descobrem que realizar exercícios intensos antes de almoçar ou jantar faz que tenham menos apetite e reduzam seu consumo calórico total, permitindo uma maior perda de peso que a que provoca o próprio exercício físico.

LaForge escreveu: "Alguns fatores estão mais alem do controle do individuo. A gente nasce com diferenças metabólicas. Algumas pessoas têm um maior índice metabólico quando descansam o seu metabolismo, em comparação com o de outras, produz mais enzimas que queimam gorduras.

As pessoas com baixa percentagem de fibras musculares, de contração lenta, parecem menos aptas para queimar gorduras nos músculos ósseos e desse modo os custa muito mais descer de peso quando fazem exercício.

Finalmente, o sexo também conta. As mulheres tendem a queimar mais gordura superficial, mas lhes custa muito mais que aos homens perder a gordura abdominal.

Por Jane E. Brody
Do The New York Times


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO