001_outras_port

Hepatite B ou hepatite C, qual é a pior?

17/09/2012

Não existem estudos conclusivos que afirmem quais das duas hepatites, B ou C, possuem um risco maior de mortalidade por causas relacionadas ao fígado. As hepatites B e C ocasionam doença no fígado e complicações, tais como a cirrose, câncer e a morte do indivíduo em importante número de infectados.

Um estudo realizado na Johns Hopkins University, Baltimore, dos Estados Unidos comparou as taxas de mortalidade em indivíduos infectados com HIV (AIDS) e co-infectados com hepatite B ou hepatite C, já que os problemas causados nos indivíduos co-infectados as complicações progridem com maior celeridade que nos pacientes sem o vírus HIV. Para pesquisar a questão os autores examinaram os resultados do Multicenter AIDS Cohort Study, um grande estudo prospectivo, com homens que têm sexo com homens.

Um total de 6.728 indivíduos em acompanhamento no Multicenter AIDS Cohort Study foram incluidos na analise dos dados sendo 337 com hepatite B e 343 com hepatite C e aproximadamente 70% em ambos os grupos também estavam infectados com HIV (AIDS) tipo 1.

Embora a mortalidade por todas as causas foi semelhante entre os dois grupos, o risco de morte relacionada ao fígado foi duas vezes maior nos pacientes com hepatite B. Nos coinfectados HIV/HBV ao risco de morte foi de 9,6 ao ano a cada 1.000 pacientes. Nos coinfectados HIV/HCV ao risco de morte foi de 5 ao ano a cada 1.000 pacientes. Nos infectados com HIV, aqueles com contagem de células CD4 inferior a 200/mm3 o risco de morte relacionada ao fígado foi 16 vezes maior que naqueles com contagem superior a 350/mm3.

Após a introdução de drogas como o Tenofovir nos pacientes coinfectados HIV/HBV aconteceu uma diminuição na mortalidade por causas relacionadas ao fígado, mas a queda não foi estatisticamente significativa.

Concluem os autores que a hepatite B traz um maior risco de morte por doenças relacionadas ao fígado que a hepatite C, principalmente neste grupo de pacientes, homens que fazem sexo com homens e na maioria também infectados com HIV (AIDS). Destacam a importancia do diagnostico e tratamento e de vacinação para hepatite B nos indivíduos ainda não infectados.

MEU COMENTÁRIO:

Conclamo os grupos e associações de AIDS a exigir a testagem imediata das hepatites B e C em todos os soropositivos HIV, como forma de diminuir o risco de morte por causas do fígado. O risco de morte de 9,6 de cada 1.000 infectado a cada ano e expressivamente alto. Não existe mais tempo para ficarmos silenciando uma doença grave como são as hepatites. Vamos nos unir e exigir teste universal para todos.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Comparative risk of liver-related mortality from chronic hepatitis B versus chronic hepatitis C virus infection - Falade-Nwulia O, Seaberg EC, Rinaldo CR, Badri S, Witt M, Thio CL. - Clin Infect Dis 2012 Aug 15; 55: 507-13 - Division of Infectious Diseases, Johns Hopkins University, Baltimore.


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO