006_pesq_port

Brasil perde o trem da historia na pesquisa clínica

19/03/2013

Participei no final de semana do XIV Encontro da Sociedade Brasileira de Profissionais em Pesquisa Clínica que foi realizado com o tema "O que esperar da Pesquisa Clínica no Brasil"

Confesso que foi uma experiência frustrante, já que o que podemos esperar é praticamente nulo. A burocracia da ANVISA e do sistema CEP/CONEP para aprovar uma pesquisa patrocinada por um laboratório estrangeiro é tamanho que as empresas já não têm interesse de incluir o Brasil entre os países participantes.

Enquanto que a aprovação de uma pesquisa nos Estados Unidos leva 45 dias e nos países latino-americanos três meses, no Brasil o tempo para aprovação fica entre 10 meses e três anos. Quando finalmente aprovada o Brasil fica excluído de participar, pois a pesquisa já acabou nos outros países.

Os números do CEP da UNIFESP presente no evento comprovam a exclusão do Brasil. Em 2009 passaram pelo CEP da instituição 198 projetos com cooperação estrangeira, número que foi caindo a cada ano. Em 2012 somente 50 projetos foram apresentados para apreciação. Absurdamente uma pesquisa com cooperação estrangeira é classificada como grupo 3 pela CONEP e por consequência precisará passar por etapas burocráticas inconcebíveis, não requeridas a uma pesquisa somente brasileira, daí a demora.

A CONEP é subordinada ao Conselho Nacional de Saúde, os conselheiros sabem dos problemas, mas parece que o assunto não é com eles. Onde estão a ANVISA e o Conselho Nacional de Saúde?

Quando o país não participa dos estudos internacionais todos os brasileiros perdem. Os pesquisadores ficam dependentes dos estudos de outros países, os médicos não ganham experiência e capacitação nos tratamentos e, pacientes que hoje não encontram resposta com os medicamentos disponíveis perdem a possibilidade de drogas promissoras. Lembrando ainda que tais pesquisas nada custam ao governo, todas são financiadas pelos fabricantes.

Entrei então no site do governo dos Estados Unidos que registra as pesquisas para ver como andam as pesquisas referentes às hepatites e suas comorbidades. Encontrei que na fase 2 das pesquisas existem em andamento um total de 228 estudos clínicos que estão recrutando pacientes para estudar 123 drogas diferentes para tratamento das hepatites e suas comorbidades aprovadas no Clinical Trials - www.clinicaltrials.gov/ (segue listagem abaixo).

Pesquisando no Registro Brasileiro de Ensaios Clinicos - http://www.ensaiosclinicos.gov.br/rg/?q=hepatite encontrei somente 1 pesquisa registrada no Brasil, com o nome de "Efeitos da suplementação de óleo de peixe sobre o pré diabetes em pacientes portadores de hepatite crônica por vírus C." realizada no Hospital Universitário Professor Edgar Santos - UFBA.

Penso que não é necessário comentar ou explicar qualquer coisa a mais. Como diria Boris Casoy, "Isto é uma vergonha".

Drogas em pesquisa para tratamento das hepatites e suas comorbidades aprovadas no Clinical Trials - www.clinicaltrials.gov/

1. ABT-267
2. ABT-333
3. ABT-450
4. Ad6NSmut
5. AdCh3NSmut
6. AdCh3NSmut1
7. Adefovir Dipivoxil
8. Amlodipine
9. Anakinra
10. Anti-CD3 monoclonal antibody
11. Asunaprevir
12. ATeGe-Fresenius
13. Avatrombopag
14. Baclofen
15. Bavituximab
16. BI 201335
17. BI 207127
18. BIP 48
19. BMS-650032
20. BMS-790052
21. BMS-791325
22. BMS-929075
23. Boceprevir
24. Cafeína
25. Celgosivir
26. Cholate-2,2,4,4-d4
27. Cholate-24-13C
28. ChronVac-C
29. Citalopram
30. Cyclosporine
31. Daclatasvir
32. Danoprevir
33. Darunavir
34. Diacetylmorphine
35. Dietary Supplement: green tea extract (EGCG)
36. Dietary Supplement: Nutrison
37. Diltiazem
38. Efavirenz
39. Eltrombopag
40. Emtricitabine
41. EngerixTM-B
42. Entecavir
43. Erythropoetin
44. Estatinas
45. Etravirine
46. Everolimus
47. Fibrinogen concentrate
48. Fosamprenavir
49. Fresh Frozen Plasma
50. GenHevac B Pasteur
51. Glargine
52. Glulisine
53. Granulocyte Colony-stimulating Factor
54. GS-5816
55. GS-5885
56. GS-6624
57. GSK2231392A
58. GSK2336805
59. Hepavax-Gene
60. Hydromorphone
61. Hydroxychloroquine (HCQ)
62. Interferon peguilado 2-a
63. Interferon peguilado 2-b
64. Interferon peguilado Lambda
65. Isoniazid
66. ITX 5061
67. JNJ-47910382
68. Lamivudine
69. LPV/r
70. Maleato E5501
71. Maraviroc
72. MBL-HCV1
73. Mesenchymal stem cells
74. Metformin
75. Methylprednisolone
76. Midazolam
77. Miravirsen sodium
78. Mirtazapine
79. MK-5172
80. MK-8742
81. Mozobil
82. MP-424
83. MVA-NSmut
84. Naltrexone
85. Norfloxacin
86. Orlistat
87. P1101
88. PBO matching ASV
89. Pentoxifylline
90. PHN121
91. Pioglitazone
92. Propranolol
93. Raltegravir
94. Reiferon retard
95. Ribasphere
96. Ribavirina
97. Rifaximin
98. Rimantadine
99. Ritonavir
100. RO5190591
101. Romiplostim
102. SB9200
103. Sci B vac
104. Sildenafil
105. Sofosbuvir (GS-7977)
106. Stem cell transplant
107. Subcutan implantation of autologus skin
108. Tacrolimus
109. Telaprevir
110. Telbivudine
111. Tenofovir
112. Terlipressin
113. Thalidomide
114. TMC647055
115. Tolbutamide
116. Valacyclovir
117. Valacyclovir
118. Valacyclovir
119. Vitamina D
120. VSL#3
121. VX-135
122. Warfarin
123. Zinc Sulfate

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO