025_pesq_port

O futuro da hepatologia?

29/06/2015

Com o surgimento dos tratamentos orais altamente eficazes para curar a hepatite C e suprimir o vírus da hepatite B, e a perspectiva num futuro próximo de alcançar a cura da hepatite B, outras doenças serão prioridades dos hepatologistas. Entre essas estão as doenças hepáticas alcoólicas e não alcoólicas. A doença hepática alcoólica continua a ser uma ameaça à saúde pública, até o momento terrivelmente negligenciada. Faltam campanhas para reduzir o consumo de bebidas alcoólicas para prevenir lesões hepáticas graves em pessoas que bebem em excesso.

A esteato hepatite não alcoólica (NASH) passará a ser a doença de maior prevalência a ser cuidada pelos hepatologistas, devido ao aumento surpreendente da obesidade e do sedentarismo. Atualmente a obesidade afeta mais pessoas em todo o mundo que a desnutrição.

A doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA), em paralelo com o aumento da prevalência da síndrome metabólica, é provável que surja como a causa mais importante de doença hepática crônica, incluindo câncer no fígado, ao longo das próximas décadas.

Embora esteja previsto que os casos de câncer de fígado por culpa da hepatite C atingirão o pico na década de 2020 superando os casos de câncer de mama, próstata e colorretal, se tornando a terceira principal causa de morte por câncer no mundo, passarão depois a declinar em consequência do aumento de diagnostico e a cura dos infectados.

Em resumo, o futuro promete enriquecer a hepatologia com novas tecnologias que irão melhorar a capacidade de prever e diagnosticar as doenças e restaurar a saúde do fígado através de terapias moleculares e novos medicamentos para regeneração do fígado. Ao mesmo tempo, os pacientes serão participantes mais ativos em seus cuidados com o uso de tecnologias digitais que forneçam informação instantânea e monitoramento constante.

Estudos sugerem que com a disponibilidade dos novos tratamentos irá transformar a hepatite C em uma doença rara no ano de 2036.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
The future of hepatology: Embrace change - Scott L. Friedman MD; Yael L. Friedman MA - Clinical Liver Disease (AASLD) - Article first published online: 24 JUN 2015 - DOI: 10.1002/cld.473

Training the next generation of hepatologist: What will they need to know? - Dina L. Halegoua-De Marzio MD; Steven K. Herrine MD - Clinical Liver Disease (AASLD) - Article first published online: 24 JUN 2015 - DOI: 10.1002/cld.461


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO