004_progress_port

Fatores que impactam na progressão da hepatite C

24/09/2012

Não é somente a hepatite C que provoca a fibrose. Diversos fatores podem acelerar a progressão do dano hepático nos infectados com o vírus da hepatite C.

A seguir, em ordem alfabética, coloco um resumo daqueles mais importantes.

- Carga Viral: A carga viral na hepatite C não está associada a maior ou menor progressão do dano hepático, nem a agressividade do vírus. Na hepatite C a carga viral somente deve ser utilizada durante o tratamento, pois é com o resultado da carga viral que se sabe se os medicamentos estão fazendo efeito. Não possui nenhuma utilidade realizar carga viral em pacientes fora do tratamento. Diferentemente, na hepatite B e na AIDS a carga viral indica, sim, progressão e gravidade da doença.

- Consumo de álcool:
O consumo de bebidas alcoólicas acelera a progressão dos danos ao fígado e o desenvolvimento de câncer no fígado.

- Consumo de café: Estudos demonstram que o consumo de café, entre 3 e 5 xicaras ao dia protege o fígado, diminui a progressão da cirrose e diminui o risco de desenvolver câncer no fígado.

- Fumantes: O cigarro aumenta a inflamação intra-hepática acelerando a progressão da fibrose.

- Genótipo do vírus C:
Todos os genótipos são iguais quanto a agressividade, porém o genótipo 3 parece estar associado a uma progressão mais acelerada da fibrose por poder causar o distúrbio metabólico, provocando a esteatose (gordura no fígado) e o diabete. Estudos preliminares mostram que o genótipo 1b poderia possuir uma maior possibilidade de desenvolver câncer no fígado.

- Hepatite B: Infectados com hepatite C co-infectados com a hepatite B aumentam a possibilidade de desenvolver câncer no fígado.

- HIV/AIDS: Infectados com hepatite C co-infectados com HIV/AIDS aceleram a progressão do dano hepático.

- Inflamação do fígado: Maior inflamação equivale a progressão mais acelerada da fibrose. Níveis de transaminases persistentes normais, em especial a transaminase ALT representa na maioria dos casos, mas não em todos, uma progressão mais lenta do dano produzido no fígado.

- Sexo do infectado: Homens evoluem mais rapidamente na fibrose e apresentam maior possibilidade de desenvolver câncer no fígado que as mulheres. Após a menopausa, a taxa de progressão da fibrose aumenta nas mulheres.

- Síndrome metabólica: A esteatose (depósitos de gordura no fígado) e o diabetes tipo 2 aceleram a progressão da fibrose e aumenta o risco de desenvolver câncer no fígado.

- Sobrecarga de ferro: Aumenta a progressão da fibrose.

- Transplantados de fígado: A progressão da fibrose é mais acelerada nos transplantados de fígado.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO