017_progress_port

Progressão da hepatite C em infectados com transaminases em níveis normais

25/08/2014

Não existe ainda conhecimento suficiente que permita elaborar uma formula para calcular a velocidade de progressão da fibrose em infectados com hepatite C.

Dados de um estudo realizado na Alemanha observou o que aconteceu com 718 pacientes que completam 35 anos de infectados com o genótipo 1b da hepatite C. Apesar da hepatite C ter somente 25 de descoberta a data da infecção desses pacientes é conhecida porque receberam imunoglobulina humana Anti-D comprovadamente infectada.

No grupo foram encontrados 189 pacientes que tinham eliminado o vírus de forma espontânea, isto é, possuem anticorpos, mas o vírus é indetectável sem nunca qualquer tratamento. Os outros 529 permaneceram com a infecção crônica, dos quais 197 nunca receberam qualquer tratamento, 183 não conseguiram a cura após receber tratamento antiviral e 149 resultaram curados com o tratamento.

Após 35 anos de ter acontecido à infecção, dos 718 infectados, 9.3% dos pacientes chegaram à cirrose. No grupo que não obteve a cura com o tratamento 15,3% desenvolveram cirrose, entre os que obtiveram a cura a cirrose atingia somente 6% dos pacientes e entre os que tinham curados espontaneamente somente 1,1% chegaram a apresentar cirrose.

Concluem os pesquisadores que os resultados fornecem evidencias para uma progressão lenta da doença, mas significativa, após 35 anos de ter acontecido a infecção. Aqueles que eliminaram o vírus de forma espontânea ou os que receberam tratamento e resultaram curados apresentam melhor resultado clínico em longo prazo.

MEUS COMENTÁRIOS

É necessário destacar que o grupo de pacientes estudado ficou infectado por haver recebido imunoglobulina humana Anti-D.

Será que pessoas infectadas, por exemplo, em uma transfusão de sangue, onde a quantidade de vírus em uma bolsa de sangue pode ser consideravelmente maior ao que se encontrava numa dose de imunoglobulina vai ter a mesma velocidade de progressão da doença?

Por tanto, os dados do estudo são extraordinários, mas devem ser analisados com cautela, não podendo ser considerados para todos os infectados com hepatite C.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Evaluation of liver disease progression in the German hepatitis C virus (1b)-contaminated anti-D cohort at 35 years after infection - Wiese M1, Fischer J, Löbermann M, Göbel U, Grüngreiff K, Güthoff W, Kullig U, Richter F, Schiefke I, Tenckhoff H, Zipprich A, Berg T, Müller T; East German HCV Study Group - Hepatology. 2014 Jan;59(1):49-57. doi: 10.1002/hep.26644. Epub 2013 Nov 18.


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO