011_psi_port

Relação entre depressão e hepatite C

10/04/2012

Pessoas com hepatite C têm mais chances de desenvolver quadros depressivos. É conhecido que o vírus da hepatite C pode afetar o sistema nervoso central em alguns infectados, mas será esse o principal culpado pela depressão?

Muitos indivíduos alegres, sem maiores problemas de relacionamento social, quando recebem o diagnostico de "hepatite C crônica" mudam de forma substancial seu comportamento.

Restrições com a alimentação, em especial com as bebidas alcoólicas, resistência a tomar medicamentos, medo do futuro, complicações naturais da doença, infinidade de exames, medo de transmissão do vírus, entre várias outras causas, levam alguns indivíduos a um quadro depressivo. Não é uma situação exclusiva que atinge somente os infectados com hepatite C, situação semelhante acontece nas pessoas quando são diagnosticadas com uma grave doença crônica.

Quando na comunicação do diagnostico de uma doença pouco conhecida e sem maiores explicações por parte do médico é colocada à palavra "crônica" a maioria dos pacientes fica perplexo, associando a palavra crônica com a gravidade da doença que foi encontrada.

Estando em acompanhamento ou tratamento da hepatite C a depressão contribui para um menor desempenho no trabalho, afetando o comprometimento profissional. Uma pessoa deprimida, ao igual que todo mundo depende do salário, assim, como as pessoas não deixam de trabalhar elas estarão no local de trabalho, mas por momentos é como se não estivessem presentes, não conseguem se concentrar, não conseguem produzir. Profissionais de relações humanas chamam isso de presenteísmo.

A especialização da medicina trouxe muitos benefícios no tratamento das doenças, mas está sendo perdida a visão geral do ser humano. Um médico especialista no tratamento da hepatite C será que consegue diagnosticar corretamente sinais de depressão? Pode perceber pequenas mudanças no comportamento do paciente na vida social ou profissional durante os poucos minutos que dura uma consulta?

É evidente que tratar a depressão resultará em um melhor tratamento da hepatite C. Um paciente com depressão certamente terá um menor cuidado com sua saúde e menor adesão ao tratamento, deixando de tomar os medicamentos nas dosagens e horários indicados.

Pessoas com depressão geralmente escondem os próprios sintomas, até da própria família. Não sabendo como lidar com a mudança no comportamento, não procurando tratamento para a depressão, um círculo vicioso começa a engolir a pessoa. Muitas vezes a porta de escape se transforma em uma fuga da realidade levando o indivíduo para o álcool ou as drogas.

O acompanhamento por um psiquiatra é fundamental para combater de forma eficaz um quadro de depressão. Atualmente existem medicamentos altamente seguros e eficazes para seu tratamento.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO