017_psi_port

Tratamento da hepatite C em pacientes com distúrbios psiquiátricos

12/07/2010

O tratamento da hepatite C com o interferon combinado com a ribavirina apresenta importantes efeitos colaterais psiquiátricos, podendo exacerbar os problemas mentais nos pacientes com transtornos psiquiátricos já existentes, ocasionando baixa aderência ao tratamento e afetando a resposta terapêutica.

Pesquisadores franceses realizaram um estudo de corte para avaliar a aderência ao tratamento dos pacientes com problemas psiquiátricos e comparar os resultados com os pacientes sem problemas psiquiátricos que foram tratados durante os anos de 2002 e 2005 com interferon peguilado e ribavirina em hospitais franceses.

Foram analisados os prontuários de 1.860 pacientes, dos quais 403 (22%) apresentavam transtornos psiquiátricos, em especial depressão e transtornos de ansiedade. A adesão total ao tratamento foi praticamente igual entre os dois grupos, de 35% entre os pacientes com transtornos psiquiátricos e de 39% entre os pacientes sem transtornos psiquiátricos. A cura da hepatite C foi a mesma nos dois grupos de 52% versus 51%.

Os efeitos mentais considerados adversos foram superiores entre os pacientes com transtornos psiquiátricos, chegando aos 78% contra 57% nos pacientes sem transtornos psiquiátricos.

Concluem os autores que o tratamento da hepatite C com interferon peguilado e ribavirina em pacientes que apresentam transtornos psiquiátricos parece apresentar a mesma possibilidade de sucesso que em pacientes sem transtornos psiquiátricos, porém por apresentarem uma maior possibilidade de acontecerem efeitos mentais adversos provocados pelo interferon, tais pacientes necessitam de um rígido controle e acompanhamento.

MEU COMENTÁRIO:

O estudo confirma que se os pacientes com transtornos emocionais ou psiquiátricos recebem um acompanhamento adequado, em especial de um psiquiatra, podem realizar o tratamento com muita boa aderência e conseguem possibilidade de cura exatamente igual aos pacientes sem problemas psiquiátricos.

O ideal seria que tais pacientes recebam o tratamento em centros de atendimento multidisciplinar.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Pegylated interferon-alpha2b plus ribavirin therapy in patients with hepatitis C and psychiatric disorders: results of a cohort study. - Lang JP, Melin P, Ouzan D, Rotily M, Fontanges T, Marcellin P, Chousterman M, Cacoub P; CheObs Study Group - Department of Psychiatry and Addiction, Hospital of Erstein, Erstein, France - Antivirial Therapy - 2010;15(4):599-606.


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO