036_psi_port

Os segredos do fígado

26/06/2017

Trechos de artigo do New York Times escrito pelo NATALIE ANGIER - 15 de junho de 2017

Para civilizações antigas, o fígado era o principal órgão do corpo, onde estavam a alma e as emoções humanas. Não obstante, é possível que até os maiores peritos do fígado na história tenham subestimado o alcance e a complexidade do órgão.

Um fígado sadio processa os alimentos que comemos para convertê-los em ingredientes para nossas células; neutraliza as muitas substâncias potencialmente daninhas que ingerimos de forma acidental ou deliberadamente; gera hormônios, enzimas, fatores de coagulação e moléculas imunitárias; controla a química sanguínea… e a lista continua.

"Se falham os pulmões, há ventiladores mecânicos que respiram por ti; se falham os rins, contamos com máquinas para diálise, e o coração realmente é sozinho uma bomba, assim é que podemos usar um coração artificial", explicou a doutora Anna Lok, presidenta da Associação Americana para o Estudo das Enfermidades Hepáticas e diretora da Hepatologia Clínica na Universidade de Michigan.

"Entretanto, se falha o fígado, não há nenhuma máquina para substituir todas suas distintas funções, e a melhor opção é um transplante".

Os pesquisadores de um estudo recente (*1) assombraram-se ao descobrir que o fígado aumenta e diminui de tamanho até em 40 por cento cada 24 horas, enquanto que os órgãos a seu redor ficam virtualmente iguais.

Os cientistas também têm descoberto que os hepatócitos, que são as células metabolicamente ativas que constituem 80 por cento do fígado, possuem características que não se encontram em nenhuma outra célula normal do corpo. Por exemplo, enquanto que a maioria das células têm dois conjuntos de cromossomos -dois conjuntos de códigos genéticos sobre como deveria comportar-se-, os hepatócitos podem envolver e manipular com destreza até oito pares de cromossomos e tudo sem fazer-se em pedaços nem se voltar cancerosas.

Os cientistas esperam que os novos conhecimentos sobre o desenvolvimento do fígado e seu desempenho ajudem a produzir novos tratamentos para os mais de cem transtornos que afligem ao órgão, muitos dos quais estão aumentando no mundo, culpa do incremento nas taxas de obesidade e a diabetes.

O fígado é nosso maior órgão interno, pesa ao redor de 1,6 quilogramas. A massa avermelhada marrom de quatro lóbulos de tamanho desigual se estende por todo o flanco superior direito da cavidade abdominal, por debaixo do diafragma e ainda por cima do estômago.

A maioria dos órgãos têm uma só fonte sanguínea. O fígado tem dois fornecimentos de sangue: a artéria hepática, que transporta sangue rico em oxigênio do coração, e a veia porta hepática, que deposita sangue drenado dos intestinos e o baço. Este último tipo de sangue leva produtos alimentícios semi processados que precisam ser "massageados" pelo fígado para sua conversão, desintoxicação, armazenagem, secreção e eliminação.

"Tudo o que se coloca na boca deve passar pelo fígado antes de que faça algo útil em outras partes do corpo", disse Lok.

MEU COMENTÁRIO

No artigo do New York Times não é explicado que o aumento e a diminuição de até 40% no tamanho do fígado foi observado em ratos, faltando portanto comprovar se o mesmo acontece em seres humanos.

(*1) - Diurnal Oscillations in Liver Mass and Cell Size Accompany Ribosome Assembly Cycles - Flore Sinturel, Alan Gerber, Daniel Mauvoisin, Jingkui Wang, David Gatfield, Jeremy J. Stubblefield, Carla B. Green, Ueli Schibler - Cell - Volume 169, Issue 4, p651-663.e14, 4 May 2017

Este artigo foi redigido tomando como base a seguinte fonte:
Trechos de artigo do New York Times escrito pelo NATALIE ANGIER - 15 de junho de 2017


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO