007_rvs_port

Adicionar Fluvastatina no tratamento com interferon aumenta a resposta terapêutica<

18/03/2013

Foi publicado na revista "Gastroenterology" um estudo randomizado controlado que comprovou que adicionar fluvastatina no tratamento do genótipo 1 da hepatite C com interferon peguilado e ribavirina aumenta a possibilidade de sucesso com o tratamento.

Diversos estudos encontraram que a fluvastatina e a sinvastatina (estatinas largamente utilizadas para o controle do colesterol) possuem atividade antiviral comprovada contra o vírus da hepatite C em monoterapia. Neste estudo a segurança e eficácia da adição dessas duas estatinas no tratamento do genótipo 1 da hepatite C com interferon peguilado e ribavirina durante 48 semanas foi testada em veteranos de guerra dos Estados Unidos infectados.

Um total de 37 infectados com o genótipo 1 nunca antes tratados com qualquer antiviral foram randomizados. Um grupo de 20 pacientes recebeu tratamento somente com interferon peguilado e ribavirina e um segundo grupo de 18 pacientes recebeu também fluvastatina (20 mg/dia). Alem dos 37 pacientes um grupo de 7 pacientes que já tomava sinvastatina para controle do colesterol não foram randomizados, mas foram inseridos em um braço piloto para comparação com os resultados dos dois grupos do estudo.

Nenhum problema de segurança ou efeitos colaterais fora dos já conhecidos no tratamento da hepatite C foram observados nas 48 semanas de tratamento.

Resultados:

- Dos 25 pacientes que receberam tratamento com estatinas (fluvastatina ou sinvastatina) 13 obtiveram a cura (resposta sustentada aos seis meses após o tratamento) representando uma taxa de cura de 52%.

- Dos 20 pacientes tratados com interferon peguilado e ribavirina, sem nenhuma estatina, 5 obtiveram a cura, representando uma taxa de sucesso de 25%.

Concluem os autores que os resultados do estudo confirmam os relatados dos dois maiores estudos já publicados que utilizaram a mesma dosagem de fluvastatina em pacientes que recebiam tratamento antiviral pela primeira vez, mas alertam que novos estudos devem ser realizados incluindo um maior número de pacientes, para então ter a necessária comprovação da eficácia da fluvastatina quando incorporada no tratamento da hepatite C.

MEU COMENTÁRIO

A fluvastatina é empregada largamente no tratamento para controlar o colesterol. Os hospitais dos veteranos de guerra dos Estados Unidos foram os primeiros a encontrar que pacientes que faziam controle do colesterol quando tratados da hepatite C apresentavam as melhores taxas de resposta sustentada.

Com o achado passaram a realizar diversos estudos e, outros centros médicos também se interessaram, pois as estatinas são medicamentos baratos e, se podem aumentar a possibilidade de cura com o tratamento da hepatite C sem maiores complicações será uma boa notícia. Um paciente sem aumento de colesterol pode sem maiores problemas tomar uma estatina durante as 48 semanas do tratamento e ao final descontinuar sua utilização.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Bader T, Hughes D, Dunnam M, Frost B, Gonterman J, Fazili J, Madhoun MF. Randomized Controlled Trial Adding Fluvastatin to Peginterferon and Ribavirin for Naive Genotype One Hepatitis C Patients. Gastroenterology 2012; 142 (Suppl 1); S-939


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO