011_alternat_port

Duas publicações alertam sobre a importância da vitamina D

19/09/2011

1 - A importância da vitamina D no monitoramento de todos os pacientes com cirrose


A deficiência de vitamina D é uma complicação bem documentada na doença hepática colestática, como a cirrose biliar primária. Embora a prevalência e tratamento da deficiência tenham sido abordados em muitos artigos nas últimas décadas, pouco se sabe do estado de vitamina D na cirrose hepática alcoólica.

Em um artigo da pesquisa publicado no "World Journal of Gastroenterology" os autores descreveram o status da vitamina D em uma série retrospectiva de casos incluindo 89 pacientes com cirrose hepática alcoólica, comparados com 34 pacientes com cirrose biliar primária.

O estudo mostrou que a deficiência de vitamina D é mais frequente e grave em pacientes com cirrose hepática alcoólica do que em pacientes com cirrose biliar primária. Além disso, indicou que o grau de disfunção hepática, em vez de a etiologia da cirrose, determina o risco de deficiência de vitamina D.

Entre os pacientes com cirrose alcoólica, 85% tinham níveis de vitamina D abaixo de 50 nmol / L e 55% apresentaram níveis abaixo de 25 nmol / L, em comparação com 60% dos pacientes com cirrose biliar primária com níveis de vitamina D abaixo de 50 nmol / L e 16% dos pacientes com cirrose biliar primária com níveis abaixo de 25 nmol / L. Em ambos os grupos a vitamina D diminuiu com o aumento da severidade da doença hepática, conforme determinado pelo escore de Child-Pugh.

Este estudo enfatiza a importância do monitoramento dos níveis de vitamina D em todos os pacientes com cirrose. No entanto, mais estudos são necessários para encontrar a forma mais favorável de suplementação de vitamina D para estes pacientes.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Vitamin D deficiency in cirrhosis relates to liver dysfunction rather than aetiology - Malham M, SP Jørgensen, P Ott, Agnholt J, H Vilstrup, M Borre, JF Dahlerup. - World J Gastroenterol 2011; 17 (7): 922-925




2 - A importância da vitamina D nas doenças autoimunes


Doença autoimune é aquela na qual o próprio organismo produz anticorpos que atacam determinado órgão. Muito se desconhece ainda sobre os fatores que atuam na autoimunidade, suspeitando-se que possam ser fatores genéticos ou os chamados ambientais. Uma das suspeitas, a cada dia mais aceita, é que a vitamina D desempenha um papel decisivo nas doenças autoimunes.

A vitamina D é importante para a estrutura óssea e o cálcio no organismo. É encontrada em alimentos e para ser absorvida pelo organismo o indivíduo deve ficar exposto à luz do sol.

Diversos estudos sugerem que baixos níveis de vitamina D estão associados com a incidência e gravidade de vários transtornos autoimunes, como a inflamação intestinal, a esclerose múltipla, o lúpus eritematoso sistêmico, a diabetes tipo 1 e a artrite reumatoide. Indivíduos cirróticos ou com fibrose avançada também apresentam níveis baixos de vitamina D.

Mulheres que utilizam suplementos de vitamina D apresentam um risco 40% menor de desenvolver esclerose múltipla. Entre pacientes com esclerose múltipla os níveis baixos de vitamina D estão associados a maior risco de recaída e de incapacidade.

O risco de desenvolver diabete tipo 1 é menor à medida que se incrementa a incorporação da vitamina D. Estudos revelam que 86% das crianças com diabete tipo 1 apresentam insuficiência de vitamina D.

Nos pacientes com artrite reumatoide uma baixa concentração de vitamina D está associada com uma maior atividade da doença. Em um estudo recente a administração de doses elevadas de vitamina D obteve uma redução da atividade da doença em 89% dos pacientes.

Concluem os pesquisadores que a vitamina D modula o sistema imunológico e que níveis baixos de vitamina D elevariam o risco de transtornos autoimunes. Recomendam novos estudos para encontrar respostas a muitos interrogantes que ainda existem, especialmente para compreender se realmente a vitamina D é um fator causante e não uma consequência nas doenças autoimunes.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Vitamin D and autoimmunity: Is there an association? - Sibel Ersoy-Evans - Editorial - June 2010 - Journal of the American Academy of Dermatology Vol. 55, Issue 4, Pages 696-698


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO