039_alternat_port

Ervas e suplementos dietéticos ligados a danos no fígado

17/10/2016

A revista "Hepatology" publica um estudo patrocinado pela Associação Americana para o Estudo da Doença do Fígado (AASLD) e pelo National Institutes of Health (NIH), sobre os atuais desafios no diagnóstico e tratamento de lesão hepática induzida por ervas e suplementos dietéticos.

A lesão hepática induzida pelo consumo de ervas e suplementos dietéticos já responde por 20% dos casos de hepatotoxicidade nos Estados Unidos e vários outros países.

Os principais agentes implicados incluem esteroides anabolizantes, extrato de chá verde, e suplementos nutricionais que contem múltiplos ingredientes na sua formulação.

Os esteroides anabolizantes comercializados como suplementos de musculação normalmente induzem uma colestease prolongada, o extrato de chá verde e muitos outros produtos tendem a causar uma doença aguda no fígado. Atualmente, no entanto, a maioria dos casos de lesão hepática associada ao consumo de ervas e suplementos dietéticos é o componente responsável pela toxicidade, mas qual é o ingrediente nas formulações ainda é desconhecido.

É grande a quantidade de pessoas que segundo o estudo consomem suplementos que contêm ingredientes tais como vitaminas, minerais, chás e proteínas para melhorar a dieta alimentar, bem como esteroides anabolizantes ilegais, que são versões sintéticas da testosterona usados para aumentar o desempenho atlético.

No geral, lesões hepáticas a partir de suplementos são raras, disse o autor do estudo Victor Navarro, no entanto, se em demasia, ou utilizado em combinação com outros suplementos, ou usado por períodos muito longos ou em combinação com os medicamentos convencionais, é que se podem tornar prejudiciais.

Os pesquisadores encontraram que muitos casos estavam vinculados a produtos comercializados sob vários rótulos, incluindo seis casos com produtos da Slimquick®, quatro com Herbalife®, quatro com Hydroxycut® e dois, cada uma dessas ocasionadas por produtos da Move Free® e Airborne®.

Uma limitação do estudo é que os rótulos dos produtos não indicam a lista completa dos ingredientes.

MEUS COMENTÁRIOS

Não todos os suplementos são ruins, alguns beneficiam pessoas que podem resolver questões nutricionais em determinadas doenças ou efeitos adversos de medicamentos. Mas o comprador deve ser cauteloso com produtos que fazem promessas de serem "muito bons".

Não existem milagres, ninguém vai desenvolver músculos, desintoxicar o organismo, curar um câncer ou perder peso rapidamente acreditando nas propagandas.

Uma médica americana alerta que na melhor das hipóteses, é um desperdício de dinheiro. Na pior das hipóteses você poderia morrer.

As agências reguladoras deveriam exigir maiores exigências para autorizar a venda de produtos que não necessitam receita médica e são vendidos como suplementos.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
Liver Injury from Herbal and Dietary Supplements - Victor Navarro M.D., Ikhlas Khan Ph.D., Einar Björnsson M.D., Ph.D., Leonard B. Seeff M.D., Jose Serrano M.D., Ph.D., Jay H. Hoofnagle M.D. - Hepatology - Accepted manuscript online: 27 September 2016 - DOI: 10.1002/hep.28813


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO