041_alternat_port

Alerta no "The Liver Meeting® 2017"
Danos ao fígado causados por suplementos dietéticos e produtos à base de ervas

13/11/2017

Os suplementos alimentares e a base de ervas não são aprovados pelas agências reguladoras de medicamentos, o FDA no caso dos Estados Unidos, Anvisa no Brasil, etc.

É impossível saber se contêm ingredientes não listados nos rótulos, como contaminantes químicos e microbianos, adulterantes farmacêuticos ou outros compostos, alguns com potencial hepatotóxico conhecido.

A Drug Induced Liver Injury Network - DILIN (Rede de Drogas que afetam o Fígado) dos Estados Unidos, coleta e armazena suplementos alimentares e a base de ervas consumidas por pacientes incluídos em um estudo prospectivo, que são enviados para verificação química nos laboratórios.

O estudo em questão apresentado no "The Liver Meeting® 2017" é para analisar os conteúdos e determinar a frequência do erro de rotulação de suplementos alimentares e a base de ervas.

Entre 2003 e março de 2016, foram coletados 341 suplementos alimentares e a base de ervas de 1.268 pacientes incluídos no estudo. Até à data, 229 produtos foram submetidos a análise química no Centro Nacional de Pesquisa de Produtos Naturais (NCNPR) da Universidade do Mississippi; 203 dos 229 suplementos alimentares e a base de ervas continham etiquetas identificando a sua composição.

Os ingredientes do produto, determinados por análise química para cada produto suplementos alimentares e a base de ervas, foram comparados com os ingredientes listados nos rótulos dos produtos. Os suplementos alimentares e a base de ervas foram agrupados por composição do produto, como se fossem principalmente ingredientes botânicos, vitamínicos ou esteroides; e por seu uso suposto, como para a desenvolvimento muscular do corpo ou perda de peso. A rotulagem indevida foi definida como quando a análise química não confirmou os ingredientes listados no rótulo. A análise de suplementos alimentares e a base de ervas foi realizada no Centro Nacional de Pesquisa de Produtos Naturais (NCNPR) usando espectroscopia de massa de cromatografia líquida padrão com protocolo de fonte de ionização por eletropray.

Resultados

Foi encontrado que apenas 90 de 203 (44%) suplementos alimentares e a base de ervas apresentaram rótulos que refletiam com precisão seus conteúdos conforme determinados por análise química.

Com base na composição do produto, as taxas de rotulagem indevida foram de 80% nos suplementos alimentares e a base de ervas principalmente de esteroides; de 54% no caso de vitaminas e de 48% nos casos de suplementos com ervas ou ingredientes botânicos.

Com base no suposto uso, os produtos utilizados para musculação, 79% apresentavam rotulagem indevida; produtos para perda de peso 72% com rotulagem indevida; produtos para aumentar a energia com 60% de rotulagens indevidas e entre os produtos vendidos para uma melhor saúde ou bem-estar geral, 51% estavam com rotulagem indevida, isto é, o conteúdo não correspondia ao que consta na etiqueta do frasco.

Também foram encontradas taxas semelhantes de erros de rotulagem para 166 suplementos dietéticos e produtos à base de ervas que os pesquisadores os consideram responsáveis por ocasionarem lesões hepáticas através de um processo estruturado de avaliação da causalidade.

Concluem os autores que utilizando uma análise química abrangente, observam que a rotulagem errada dos suplementos alimentares e a base de ervas é comum, ocorrendo em mais da metade dos produtos coletados. Os produtos utilizados para musculação e perda de peso possuem as taxas mais altas de rotulagem incorreta. Essas descobertas auxiliam como esses agentes são avaliados como possíveis causas de lesão hepática.

MEU COMENTÁRIO

Não é de hoje que alguns produtos ditos "naturais" são vendidos em farmácias e academias de musculação como milagrosos para emagrecer, aumentar a massa muscular, a potência física e sexual, etc., mas também a cada dia é encontrada mais gente com graves problemas no fígado, em muitos casos necessitando de um transplante de fígado para não morrer.

Cuidado com propagandas que iludem a população com promessas fáceis alegando que por ser naturais são seguros. O veneno de cobra também é natural.

Nunca tome qualquer produto sem antes consultar o médico!

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
The Frequency of Herbal and Dietary Supplement Mislabeling: Experience of the Drug Induced Liver Injury Network - Victor J. Navarro, Ikhlas A. Khan, Bharathi Avula, Manisha Verma - The Liver Meeting® 2017" - Abstract 264


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO