010_trat_med_port

Evitando a resistência aos inibidores de proteases

02/03/2013

O tratamento da hepatite C com os inibidores de proteases requer uma estratégia diferente no monitoramento por parte do médico para evitar que o vírus crie resistência ao medicamento, situação que quando acontece a interrupção do tratamento será necessária.

Portanto, a prevenção da resistência requer uma seleção cuidadosa dos pacientes que serão indicados a receber tratamento com os inibidores de proteases e deve ser rigorosa em todos os aspectos e controles do tratamento.

Para evitar a resistência os próprios pacientes devem observar rigorosamente os seguintes pontos:

- Esquecer dosagens ou não respeitar os horários indicados pelo médico significará em menor nível de medicamento no organismo, o que promove a resistência.

- Não ingerir os alimentos recomendados na forma e quantidades indicadas pelo médico reduz a absorção dos inibidores de proteases pelo organismo, resultando em níveis sub-otimos para conseguir o efeito desejado.

- Cuidado extremo com qualquer medicamento ou suplemento vitamínico ou alimentar durante o tratamento tomado sem autorização do médico que está cuidando da hepatite C. São muitos os produtos que interagem com os inibidores de proteases, podendo alterar seu efeito terapêutico.

- Os inibidores de proteases nunca devem ser utilizados em monoterapia, pois sozinhos não causam nenhum efeito, isto é, sempre eles devem ser utilizados em combinação ao interferon peguilado e ribavirina.

- A dosagem dos inibidores de proteases nunca deve ser reduzida. Se o inibidor de protease estiver causando efeitos adversos devido a sua toxicidade, o inibidor de proteases deve ser interrompido completamente.

Para evitar a resistência aos inibidores de proteases os médicos devem selecionar os pacientes com muitos cuidados:

- O tratamento com inibidores de proteases sempre deve ser considerado em pacientes nulos de resposta, os que já recidivaram ou são possíveis de recidivar se tratados somente com interferon peguilado e ribavirina e aqueles considerados não respondedores.

- O médico que observar um paciente que não está seguindo o tratamento da forma indicada deverá interromper imediatamente o tratamento, para evitar mutações virais que possam comprometer tratamentos futuros para o paciente.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO