018_trat_med_port

Antes do tratamento, prepare seu organismo e sua mente

11/03/2013

O sucesso do tratamento vai depender muito de diversos fatores. Pacientes que se dedicam mais intensamente, e que conseguem chegar ao final do tratamento tendo respeitado as dosagens dos medicamentos, aplicando-se nos espaços de tempo recomendados, obtêm melhores respostas do que outros que, por qualquer motivo, em algum momento interromperam a administração dos medicamentos.

Para se ter sucesso no tratamento, nada melhor do que a informação, pois assim, o paciente saberá antecipadamente quais problemas poderá enfrentar. A informação que o paciente e a própria família devem ter é extensa, e muitas vezes o médico não tem tempo de transmiti-la, toda, ao paciente. Assim, o paciente deve procurar meios próprios para obter informação. Livros, Internet e principalmente os grupos de apoio são fundamentais para se chegar ao final do tratamento sem maiores dificuldades.

Em muitas palestras, quando me perguntam qual é o pior efeito colateral, respondo que é aquele que não se manifesta no paciente em tratamento, mas na sua família. Existem pacientes que ficam uma pilha de nervos, com pavio tão curto que quem sofre é quem está perto deles. Por isso, antes do tratamento, toda a família, amigos e colegas de trabalhos têm de ser informados que, nos próximos meses, você necessitará de muita compreensão e ajuda. Acontecem casos de pessoas sob tratamento que perdem amizades, o emprego e até o casamento por causa da incompreensão causada, geralmente, pela falta de informação.

O ideal seria a existência de grupos de apoio multidisciplinares dentro dos próprios hospitais de tratamento. Estes grupos, compostos pelos médicos especialistas no tratamento junto com o corpo clínico do hospital, odontólogos, enfermeiros, nutricionistas, professores de educação física, farmacêuticos e pacientes voluntários que já passaram pelo tratamento para contar sua experiência deveriam realizar uma reunião a cada dois ou três meses, juntando todos os pacientes que irão ingressar no tratamento e os seus familiares, quando então seriam explicadas as diferentes fases que deverão ser enfrentadas.

Este mesmo grupo também deveria levar o paciente à situação ideal de tratamento, isto é, aquela em que se consegue chegar ao peso ideal, iniciando um programa de atividades físicas, principalmente as aeróbicas, tratando qualquer outra doença existente e até à correção de problemas dentários, enfim, tudo aquilo que possa evitar a necessidade de se tomar outros medicamentos durante o tratamento.

Com este tipo de informação, o pensamento do portador será altamente positivo, a sua auto-estima será elevada e, conseqüentemente, não aparecerão problemas graves, como a depressão, durante o tratamento. O paciente deve ser considerado como um ser humano, não como um doente de hepatite C.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO