004_pnhv_port

Hepatites no Programa de AIDS: Incorporação ou integração?

27/08/2010

Ao final, o Programa de Hepatites foi incorporado ou foi integrado ao Programa DST/AIDS do ministério da saúde?

Trata-se de uma duvida cruel, pois "integrar" significa que as hepatites B e C estariam no mesmo nível que a AIDS, já se utilizamos a palavra "incorporar" significa que será dada maior atenção à AIDS ficando as hepatites em segundo lugar.

Na segunda-feira estive reunido com os responsáveis pelo programa no ministério da saúde e quando falei da "incorporação" do programa de hepatites no DST/AIDS me falaram que o termo correto a ser utilizado e a "integração" dos programas.

Semana próxima completa 1 ano que o programa nacional de hepatites se encontra dentro do programa DST/AIDS, tempo suficiente para realizarmos uma primeira avaliação para saber se as duas epidemias estão recebendo o mesmo tratamento.

Por enquanto discordo. Passados 12 meses a "integração" já deveria apresentar alguns resultados na atenção dispensada as duas epidemias.

Vejamos alguns exemplos que não mostram que tal equidade e igualdade esteja sendo dada:


- No mês de junho o Jornal Folha de São Paulo publicou uma absurda matéria sugerindo que a hepatite C é transmitida sexualmente entre homens promíscuos. Diversos grupos de portadores de hepatite e a Sociedade Brasileira de Hepatologia se manifestaram contra, mas o programa que em tese deveria cuidar da hepatite C ficou mudo. Imagine alguém a grita que seria se isso fosse em relação a AIDS!

- Dias passados o Programa DST/AIDS/Hepatites do Ministério da Saúde emitiu nota criticando o Edital do Concurso para admissão nos quadros do Exército, por ser discriminatório solicitar aos candidatos o teste da AIDS. Entretanto não criticou que no mesmo edital também estava sendo solicitado o teste das hepatites B e C. Uma clara demonstração que cuida com diferentes pesos e medidas as duas epidemias, cuidando dos infectados com AIDS e deixando ao Deus dará os infectados com as hepatites B e C.

- Semana passada tomei conhecimento pela assessoria de imprensa do Programa DST/AIDS/Hepatites que está sendo dado inicio a uma importante e excelente pesquisa conhecida como QUALIAIDS com a qual se faz a avaliação e monitoramento da qualidade da assistência ambulatorial que os infectados com HIV/AIDS estão recebendo. (segue texto oficial ao final).

Mas voltando a duvida cruel do primeiro parágrafo, se as hepatites estivessem realmente integradas, porque fazer a pesquisa QUALIAIDS para AIDS e não para as hepatites? Ao final já faz um ano que elas deveriam ser cuidadas com o mesmo esmero e atenção.

É pelos exemplos acima, alguns entre muitos outros que aconteceram nesses 12 meses, que não consigo utilizar a palavra "integração" ao me referir aos dois programas, pois fica claro que AIDS está sendo prioritária e as hepatites, em especial a hepatite C, fica escondida debaixo do tapete, como se fosse a prima pobre da AIDS.

Carlos Varaldo
Grupo Otimismo




Serviços de AIDS no país iniciam avaliação de qualidade


Uma pesquisa, com 107 perguntas, será respondida pelos 737 serviços, que prestam assistência às pessoas vivendo com HIV/AIDS, no país. O Qualiaids - Avaliação e Monitoramento da Qualidade da Assistência Ambulatorial em AIDS no SUS é um instrumento de gestão utilizado desde 2001 pelo Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais do Ministério da Saúde e tem o intuito de avaliar a organização, gerenciamento do trabalho e a disponibilidade de recursos.

O Qualiaids eletrônico é um questionário de múltipla escolha, autoaplicável pelos serviços, com um conjunto de recomendações de boas práticas para cada uma das questões abordadas. Ao final das respostas, o programa emite um relatório que classifica os indicadores em três níveis de qualidade: ouro, prata e bronze, mas as avaliações são sigilosas. O objetivo é fornecer instrumentos e recomendações para que os serviços possam melhorar a qualidade da assistência que oferecem.

Antes da pesquisa, no entanto, uma oficina preparatória para responder o questionário será feita em Brasília no dia 2 setembro, com os 26 estados, Distrito Federal e os locais de excelência em Monitoramento e Avaliação. Os estados terão outubro e novembro para responder o questionário. O resultado do Qualiaids deve ficar pronto no primeiro semestre de 2011.

Carolina Valadares
Assessora de Imprensa
Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais
Secretaria de Vigilância em Saúde
Ministério da Saúde
+55 61 3306-7010


Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO