Resposta do Departamento de Hepatite a carta de apoio

500

Na mesma ficam comprometidos a tomar todas as ações para atender às cinco reivindicações as quais estão sendo encaminhadas pela área técnica de hepatites virais, com o compromisso de apresentar soluções com a brevidade que o tema requer.

É um compromisso que iremos monitorar e cobrar de forma permanente.  Segue a resposta.


 

Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde

Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis

Coordenação-Geral de Vigilância do HIV/AIDS e das Hepatites Virais

 

OFÍCIO Nº 148/2020/CGAHV/.DCCI/SVS/MS

Brasília, 16 de janeiro de 2020.

Ao Senhor

Carlos Norberto Varaldo

Presidente da AIGA – Aliança Independente dos Grupos de Apoio pelos Direitos Humanos e Controle Social nas Hepatites

 

À Senhora

Neide Barros da Silva

Presidente do MBHV – Movimento Brasileiro das Hepatites Virais

 

Assunto: Nota de agradecimento à carta de apoio e reinvindicações, enviada ao Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis (DCCI/SVS/MS), sobre as ações voltadas às Hepatites Virais.

É com satisfação que este Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis (DCCI/SVS/MS) manifesta o agradecimento à carta de apoio e reinvindicações recebida no último dia 8 de janeiro, com assinatura de movimentos sociais tão relevantes na luta contra as hepatites virais.

O ano de 2019 significou a retomada do caminho para  a  eliminação das hepatites virais. Conseguimos transpor barreiras que  comprometiam  o  avanço das políticas públicas de saúde voltadas  às  hepatites  e,  em conjunto com sociedades médicas, sociedade civil organizada, gestores estaduais e municipais do SUS, iniciamos um processo de reformulação das estratégias de combate. Entendemos que cada ator tem seu papel e que, pensando e agindo conjuntamente, conseguimos obter resultados de maneira  mais  rápida  e assertiva em relação às necessidades da população.

Contudo, não podemos esquecer que a política pública necessita de monitoramento e aprimoramento contínuo, e sabemos que os avanços de 2019, apesar de relevantes, significam o começo de um árduo caminho até 2030. Agradecemos pelos apontamentos feitos na carta, salientando que todas  as  ações para atender às reinvindicações estão sendo encaminhadas pela área  técnica de hepatites virais, com o compromisso de apresentar soluções com a brevidade que o tema requer.

Ademais, este Departamento reforça sua postura de diálogo e cooperação com a sociedade civil, certos de que juntos podemos vencer as hepatites virais.

Atenciosamente,

GERSON FERNANDO MENDES PEREIRA

Diretor