[:pb]Primeira reivindicação nas hepatites atendida pelo governo[:es]Primera reivindicación en la hepatitis atendida por el gobierno[:]

527

[:pb]No mês de janeiro as associações de pacientes reunidas na AIGA – Aliança Independente dos Grupos de Apoio e do MBHV – Movimento Brasileiro das Hepatites Virais emitiram uma carta de apoio ao Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis do Ministério da Saúde, parabenizando pelo trabalho desempenhado em 2019.

Na mesma, também, incluíamos cinco reivindicações. A primeira delas está sendo cumprida. É referente a podermos realizar o controle social sobre a distribuição dos medicamentos para tratamento das hepatites B e C.

O Painel das Hepatites Virais está disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/publico-geral/hv/o-que-sao-hepatites/tratamento-para-hepatites-virais

Nele será possível acompanhar o quantitativo de medicamentos distribuídos pelo Ministério da Saúde aos estados, além do número atualizado de pessoas em tratamento contra os agravos, que será atualizado trimestralmente.

O desenvolvimento de um instrumento que possibilita a atualização sistemática das informações inerentes a distribuição dos medicamentos para hepatites virais é um objetivo da atual gestão, no intuito de dar transparência às ações, bem como manter uma comunicação clara com a sociedade civil organizada e com as demais esferas de gestão do SUS.

A informação é um excelente medicamento!

O Ministério da Saúde demostra eficiência na comunicação, nos preparativos contra o coronavírus. O que tem feito o Ministério da Saúde é um bom exemplo administrativo de enfrentamento do problema. Entrevistas diárias do ministro e do secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Kleber com estatísticas sobre o acompanhamento e publicidade das ações de prevenção e tratamento merecem aplausos.

Desejamos, e lutaremos para tal, para que as hepatites virais também recebam essa mesma eficiência na comunicação, com campanhas de informação e divulgação que alcancem toda a população.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com

 

IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.

Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.

Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação médica.
Acesso livre: Este artigo é distribuído sob os termos da Licença Internacional Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 4.0 ( 
http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/ ), que permite qualquer uso, distribuição e reprodução não comercial em qualquer meio, desde que você dê o crédito apropriado ao (s) autor (es) original (is) e cite à fonte WWW.HEPATO.COM  e indique se foram feitas alterações.

O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA – ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO[:es]En enero, las asociaciones de pacientes de Brasil reunidas en AIGA – Alianza Independiente de Grupos de Apoyo y MBHV – Movimiento Brasileño de Hepatitis Viral, emitieron una carta de apoyo al Departamento de Condiciones Crónicas e Infecciones de Transmisión Sexual del Ministerio de Salud, felicitando por el trabajo realizado en 2019.

También incluyó cinco reivindicaciones. La primera se está cumpliendo. Se refiere a poder llevar a cabo el control social sobre la distribución de medicamentos para el tratamiento de las hepatitis B y C.

El panel de hepatitis viral está disponible en: http://www.aids.gov.br/pt-br/publico-geral/hv/o-que-sao-hepatites/tratamento-para-hepatites-virais

Será posible controlar el número de medicamentos distribuidos por el Ministerio de Salud a los estados (provincias), además del número actualizado de personas que reciben tratamiento de las hepatitis B y C, que se actualizará trimestralmente.

El desarrollo de un instrumento que permita actualizar sistemáticamente la información inherente a la distribución de medicamentos para la hepatitis viral es un objetivo de la gestión actual, para proporcionar transparencia a las acciones, así como para mantener una comunicación clara con la sociedad civil organizada y con las demás esferas de gestión del sistema público de salud.

¡La información es una excelente medicina!

El Ministerio de Salud brasileño demuestra eficiencia en la comunicación, en los preparativos contra el coronavirus. Lo que ha hecho el Ministerio de Salud es un buen ejemplo administrativo para enfrentar el problema. Las entrevistas diarias con el Ministro y el Secretario de Vigilancia de la Salud, Wanderson Kleber, con estadísticas sobre el monitoreo y la publicidad de las acciones de prevención y tratamiento merecen un aplauso.

Esperamos, y lucharemos por ello, para que las hepatitis también reciban esta misma eficiencia en la comunicación, con campañas de información y difusión que lleguen a toda la población.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com 

IMPORTANTE: Los artículos se encuentran en orden cronológico. El avanzo del conocimiento en las pesquisas puede tornar obsoleta cualquier colocación en pocos meses. Encontrando colocaciones diversas que puedan ser consideradas controversias siempre es importante considerar la información más actual, con fecha de publicación más reciente.

Carlos Varaldo y el Grupo Optimismo declaran que no tienen relaciones económicas relevantes con eventuales patrocinadores de las diversas actividades.

Aviso legal: Las informaciones de este texto son meramente informativas y no pueden ser consideradas ni utilizadas como indicación médica.

Es permitida la utilización de las informaciones contenidas en este mensaje si se cita la fuente: WWW.HEPATO.COM

El Grupo Optimismo es afiliado a AIGA – ALIANZA INDEPENDIENTE DE GRUPOS DE APOYO[:]