Uma nova e desconhecida hepatite ataca crianças

57

Um surto incomum de hepatite aguda grave em crianças, originalmente na Europa e mais recentemente na Ásia, na América do Norte e na América do Sul preocupa pesquisadores e autoridades de saúde já que nenhum dos vírus conhecidos que causam hepatite viral aguda foram detectados nessas crianças. 

Trata-se de uma hepatite muito grave, que em poucos dias leva a internação hospitalar e até a necessidade de transplantes de fígados nas crianças afetadas.

Uma das principais hipóteses é que seja causada pelo adenovírus, que é um grupo de vírus comuns transmitidos de pessoa para pessoa causando sintomas respiratórios, vômitos e diarreia em crianças. O adenovírus pode causar hepatite aguda, mas é muito incomum que por si só possa ter causado a hepatite aguda grave que estamos vendo nesses casos. Pode haver outros fatores em jogo, como sugerem as autoridades de saúde e que precisam de mais investigação: 

– Maior suscetibilidade entre crianças pequenas após um nível mais baixo de circulação de adenovírus durante a pandemia de COVID-19;

– O potencial surgimento de um novo adenovírus;

– Co-infecção do adenovírus com a Covid.  

A Organização Mundial da Saúde – OMS – estima que a possível origem dessa nova hepatite desconhecida possa estar relacionada a dois fatores interrelacionados, uma infecção de Covid potencializada pelo adenovírus 41.

A OMS suspeita que crianças que tiveram Covid leve, até sem sintomas, apresentem uma resposta imunitária excessiva ante a presença do adenovírus 41, gerando uma inflamação do fígado muito grave.

A revista The Lancet confirma essa suspeita lembrando que em 12 dos 13 casos acontecidos em Israel foi encontrado que essas crianças tinham anticorpos para Covid.

Uma pesquisa em andamento encontrou que nas crianças que tiveram Covid os níveis das transaminases e da bilirrubina, dois resultados que indicam uma infecção por hepatite, são significativamente mais altas que nas crianças que apresentam infecciones respiratórias, mas não foram infectadas pela Covid.

Não se sabe ainda por que os casos da hepatite desconhecidas nas crianças somente começaram a aparecer após a quarta ou quinta onda da pandemia da Covid, dependendo ainda da região geográfica das crianças. Por que não existiam caso nos dois anos anteriores de Covid quando muitas crianças foram infectadas?

A certeza já confirmada é que os casos não são ocasionados pelas vacinas, pois muitas, tal vez a maioria, dessas crianças com a hepatite desconhecida devido a idade não tinham sido vacinadas.

Hepatite aguda causada pelos vírus das hepatites conhecidos, hepatite B, vírus C ou E, pode ser tratada com drogas antivirais. No entanto não existe um teste específico para diagnosticar a nova hepatite, assim como não existe um tratamento específico para a hepatite aguda ocorrendo atualmente em crianças. 

Médicos, em especial os pediatras e outros médicos do sistema público da saúde devem estar atentos aos casos de crianças que apresentam sintomas gastrointestinais agudos e icterícia ou transaminases elevadas, acima de 500UI/L, encaminhando imediatamente essas crianças a serviços especializados de hepatologia.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com

IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.

Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.

Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação médica.
Acesso livre: Este artigo é distribuído sob os termos da Licença Internacional Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 4.0 ( 
http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/ ), que permite qualquer uso, distribuição e reprodução não comercial em qualquer meio, desde que você dê o crédito apropriado ao (s) autor (es) original (is) e cite à fonte WWW.HEPATO.COM  e indique se foram feitas alterações.O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA – ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO